Mundial2014

06-02-2014 09:11

Zé Português quer receber Portugal com “melhor bolinho de bacalhau do mundo”

Portugal elegeu a cidade de Campinas, no estado de São Paulo, como quartel-general no Mundial2014, que se vai disputar de 12 de junho a 13 de julho no Brasil.
Zé Português quer receber Portugal com “melhor bolinho de bacalhau do mundo”

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O empresário José dos Santos António, o Zé Português, que mora há 44 anos em Campinas, pretende receber os futebolistas da seleção portuguesa com o "melhor bolinho de bacalhau do mundo".

"Quando a seleção chegar ao aeroporto internacional de Viracopos [em Campinas], eu estarei lá, com o meu rancho folclórico e bolinhos de bacalhau, para quem lá estiver. Não para a delegação, até porque acho que [os futebolistas] vão entrar no autocarro na pista de aterragem e vão direto para o hotel", afirmou à agência Lusa.

Portugal elegeu a cidade de Campinas, no estado de São Paulo, como quartel-general no Mundial2014, que se vai disputar de 12 de junho a 13 de julho no Brasil.

José dos Santos António nasceu no distrito de Leiria, mas viajou para o Brasil aos 15 anos. Após trabalhar numa padaria em São Paulo, mudou-se para Campinas, onde, atualmente, é o dono do City Bar, café que garante ter "o melhor bolinho de bacalhau do mundo".

"Tenho quase a certeza absoluta [de que o bolinho é o melhor do mundo]. Só não tenho a certeza absoluta, porque ainda não corri os quatro cantos do mundo. Mas, depois de todos os bolinhos de bacalhau que experimentei no Brasil, em Portugal, na França, na Espanha e em vários países que estive, nunca encontrei nada igual", disse.

Além do bolinho de bacalhau, o Zé Português afiançou que o seu estabelecimento também vende um bom "pastel de Belém de Campinas", mostrando-se feliz com a presença de Portugal em Campinas.

“Com meus 61 anos de vida, nunca tive a hipótese de receber a seleção do meu país na cidade que escolhi para viver", disse, sem negar que, se houver um jogo entre Brasil e Portugal, vai apoiar a equipa das “quinas”.

José dos Santos António é apenas um dos cerca de 10 mil portugueses que vivem na região de Campinas (que inclui 17 cidades próximas, no interior de São Paulo), segundo o presidente da Casa de Portugal da cidade, Adelino da Ponte.

"Não temos uma contagem com todos os lusodescendentes, se tivéssemos o número seria enorme", disse Adelino da Ponte.

Grande parte da comunidade portuguesa em Campinas trabalha nas áreas do comércio e serviços, segundo a diretora de Desenvolvimento Económico e Turismo, Alexandra Caprioli.