Mundial2014/Brasil

05-12-2016 23:57

Cartel de multinacionais manipulava concessão de obras para estádios

Existem indícios de fraude na atribuição de obras de construção ou renovação de, pelo menos, cinco estádios do Mundial2014 de futebol,
Palco de abertura do Mundial ainda está por finalizar
Foto: NELSON ALMEIDA

Arena Corinthians, em São Paulo, foi palco de abertura do Mundial2014

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A multinacional brasileira Andrade Gutierrez reconheceu ter participado num cartel para fraudar a atribuição de obras de construção ou renovação de, pelo menos, cinco estádios do Mundial2014 de futebol, anunciou hoje o Conselho Administrativo do Conselho Económico (Cade).

“Existem indícios, segundo os quais as concessões de trabalhos para, pelo menos, cinco estádios do Mundial foram manipuladas por um cartel”, infirmou hoje o Cade (organismo estatal que combate o monopólio na economia), com a qual a Andrade Gutierrez assinou um “acordo de clemência” para colaborar ativamente com a investigação.

O mítico estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, renovado para o Mundial2014 com custos elevados para o erário público brasileiro e que acolheu a final ganha pela Alemanha, e o Arena Pernambuco, em Recife, figuram entre os estádios em causa, de acordo com um comunicado do Cade.

Os brasileiros já se tinham manifestado massivamente, em junho de 2013, durante a realização da Taça das Confederações, contra a despesa pública exorbitante com os estádios do Mundial, contra a corrupção das sua elites e a penúria dos serviços públicos de saúde, educação e transportes.

Após a atribuição da competição ao Brasil pela FIFA, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva prometera aos brasileiros que os estádios seriam financiados a cem por cento por dinheiros privados.

No entanto, o desinteresse dos investidores privados obrigou os poderes públicos a assumiram integralmente a fatura dos custos, com o dinheiro dos contribuintes.

Os indícios de fraude nas concessões para a construção e renovação dos estádios foram surgindo no âmbito das investigações ao tentacular e célebre caso ‘Lava Jato’, envolvendo o gigante petrolífero estatal Petrobrás, pôs a descoberto a promiscuidade entre a classe política brasileira e as grandes empresas de construção do país.

Segundo as informações fornecidas pela Andrade Gutierrez, o cartel constituído integrava grandes grupos económicos como a Odebrecht, a Camargo Correa, a Queiroz Galvão e a OAS, todos implicados ao mais alto nível do enorme escândalo de corrupção da Petrobrás.

Conteúdo publicado por Sportinforma