Rolando

20-09-2011 11:33

O jogo do ano passado foi «extremamente difícil»

Foi desta forma que o central do FC Porto lembrou o clássico da época passada no Estádio do Dragão, onde o Benfica foi goleado por 5-0.
O jogo do ano passado foi «extremamente difícil»

Por João Agre sapodesporto@sapo.pt

Foi em Novembro, na 10.ª jornada da I Liga 2010/2011, que o Benfica abandonou o Estádio do Dragão cabisbaixo depois de ter sido goleado pelo FC Porto por 5-0, numa noite que abriu o caminho dos azuis e brancos rumo à conquista do campeonato nacional.

Quase um ano depois, as duas equipas voltam a defrontar-se no Estádio do Dragão para o campeonato e Rolando nega que esse duelo tenha sido «fácil».

«O jogo do ano passado foi extremamente difícil. Nós é que conseguimos torná-lo fácil e fazer dele um grande jogo. Não sei se este ano será igual, depende da forma como abordarmos o jogo, vamos ver como corre. O Benfica é sempre um grande candidato ao título», disse, esta terça-feira, o central do FC Porto em superflash de antevisão, minutos antes de mais um treino.

O FC Porto chega a esta sexta jornada depois de ter empatado a zero com o Feirense, enquanto o Benfica vem de uma moralizadora vitória (4-1) ante os estudantes da Académica de Coimbra.

«Foi um jogo que deveríamos ter vencido. Ficamos tristes pelo resultado mas não terá influências para o clássico. Será um desafio contra um rival direto na luta pelo título, onde o nosso pensamento será a vitória» explicou Rolando, acrescentado que o resultado contra a equipa de Santa Maria da Feira foi «inesperado porque o FC Porto joga sempre para ganhar os três pontos».

Rolando garante que a equipa portista ainda não estava com o pensamento no clássico desta sexta-feira quando jogaram contra o Feirense.

«Eu ainda não estou com a cabeça no jogo do Benfica. Ainda estou concentrado nos treinos. Nós não confundimos os jogos», revelou.

 FC Porto e Benfica estão no topo da tabela com 13 pontos e uma vitória significa passar à frente de um rival direto, deixando-o a três pontos de distância e com  uma «vantagem moral e psicológica».

«Nós estamos extremamente motivados porque é um jogo que decide quem fica à frente no campeonato. Quem ganhar fica com uma vantagem moral e psicológica, por isso o nosso objectivo é ganhar. A dose de percentagem de favoritismo é relativa porque todos os jogos começam com um 0-0», afirmou o internacional português.

No entanto: «Quem ganhar o jogo fica agora em primeiro, mas depois tem muito campeonato pela frente. São apenas três pontos, nada decide», avisou.

O FC Porto recebe, esta sexta-feira, às 20h15, o Benfica no Estádio do Dragão, em jogo da sexta jornada da I Liga.