Paulo Futre

08-10-2011 23:09

«Se não fosse jogador, era o melhor bate-chapas do Montijo»

O antigo internacional português assumiu o cargo de coordenador da escola do Milan em Portugal e falou aos jovens do seu percurso como um exemplo de como aproveitar as oportunidades.
«Se não fosse jogador, era o melhor bate-chapas do Montijo»

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Igual a si próprio. Paulo Futre, o "sócio" que voltou à ribalta com uma conferência de imprensa histórica durante as eleições do Sporting mostra-se «concentradíssimo» no novo desafio que abraçou como coordenador da escola do AC Milan em Portugal.

Num discurso aos jovens pupilos da instituição rossoneri em solo luso, Futre aproveitou o seu próprio exemplo para proporcionar uma lição. 

«Eu jogava futebol, mas também era bate-chapas. Fiz parte da primeira e única selecção sub-11 do país. Houve vários castings, fui eleito no Montijo, depois no meu distrito, cheguei a capitão de equipa e, num torneio em França, fui o melhor jogador e o melhor marcador. Quando aterrei em Portugal, o Sporting estava à minha espera para me levar para lá. Mas esta foi uma oportunidade única naquele tempo. Não fosse isso e hoje era o melhor bate-chapas do Montijo», referiu.

Questionado sobre a dedicação a este novo projeto, Futre foi claro: «Vou estar mil por cento concentradíssimo neste projeto».