Sporting - FC Porto

07-01-2012 23:34

Jornalista do "Público" impedido de entrar

Em causa estarão as imagens publicadas por este jornal relativas ao túnel de acesso ao balneário adversário no Estádio de Alvalade.
Jornalista do

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O jornalista destacado pelo jornal Público para a cobertura noticiosa do jogo entre Sporting e FC Porto, da 14.ª jornada da Liga portuguesa de futebol, foi hoje impedido de entrar no Estádio de Alvalade, em Lisboa.

Para justificarem esta decisão, os responsáveis leoninos argumentam que não receberam o pedido de credencial para o encontro, pedido, esse, que o Público garante ter enviado, através de correio eletrónico, na passada segunda-feira, dia 02 de janeiro, às 17h11 horas.

Em comunicado, a que a Lusa teve acesso, a direção do Público refere que, «como habitualmente faz sempre que há jogos em Alvalade», remeteu para o clube um email no qual se referiam os nomes dos jornalistas escalados para o jogo, «o que por si só basta para anular os argumentos do Sporting e para pôr a nu uma flagrante violação do direito de informar por parte de uma instituição de utilidade pública».

Face ao sucedido, a nota da direção esclarece que o Público acionará «todos os meios ao seu dispor para repor a legalidade».

«Os clubes de futebol não são entidades à margem do Estado de Direito e o Público não abdicará do seu papel de informar e de garantir aos seus leitores o direito de serem informados, como está previsto na Constituição da República», conclui.

Na sexta-feira, o jornal Público divulgou imagens colocadas nos acessos ao balneário da equipa visitante no Estádio de Alvalade, revelando cartazes com fotos de alguns adeptos de cara tapada, tochas nas mãos, com o braço em riste ou com tatuagens com a cruz de ferro, associado a movimentos da extrema-direita.

O clube lisboeta considerou que a divulgação de várias imagens nesta zona do Estádio, pelo jornal, na véspera do “clássico” entre Sporting e FC Porto, da 14.ª jornada da Liga portuguesa de futebol, tinha “o claro propósito de incendiar ânimos e provocar polémicas inúteis”.

Contactada pela agência Lusa, a diretora do jornal Público, Bárbara Reis, justificou a publicação das imagens dos acessos ao balneário da equipa visitante do Estádio de Alvalade com o «interesse público».