Desporto

16-10-2013 13:21

Cirurgião José Carlos Noronha lança livro sobre a lesão mais temida

«Ligamento cruzado anterior» é uma obra que conta com prefácio do “special one” José Mourinho.
Cirurgião José Carlos Noronha lança livro sobre a lesão mais temida

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O cirurgião José Carlos Noronha, que já operou alguns dos melhores futebolistas mundiais, apresentou hoje o seu livro "Ligamento cruzado anterior", em Matosinhos, dedicado «à lesão mais frequente nos desportistas» e «responsável pelo fim de muitas carreiras».

No Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos, o especialista na área do joelho, que já operou, entre outros, Pepe, Lucho, Derlei, Diego, Anderson, Ricardo Carvalho, Sereno e Ukra, lançou o seu quarto livro dedicado ao tema.

«Ligamento cruzado anterior» é uma obra que conta com prefácio do “special one” José Mourinho, que rotula José Carlos Noronha de “very special”, e de Cristiano Ronaldo, que falhou o lançamento por cancelamento de voo.

Vítima há 31 anos de uma rotura do ligamento cruzado anterior do joelho direito, que colocou fim à prática de futebol, em que foi colega de Henrique Calisto no GD Santa Cruz de Alvarenga, em Arouca, José Carlos Noronha dedicou toda a atenção à traumatologia.

Pelas mãos do cirurgião passaram ainda Ashley Cole, Robben, Bruno Morais, César Peixoto, Delibasic, Filipe Teixeira, Hélder Barbosa, Nuno Piloto, Orlando Sá, Pablo Contreras, Hélder Barbosa, Pedro Emanuel, Sérgio Conceição, Rabiola e Robert Huth.

José Carlos Noronha falou das «noites de insónia» sofridas durante o período de recuperação das estrelas por si operadas, até ao momento em que regressam à atividade em pleno, e, em termos de balanço, considera que não se tem saído mal.

Vieirinha, ao serviço dos alemães do Wolfsburgo, foi o mais recente futebolista por si operado, há oito dias, e já hoje fez questão de se associar ao lançamento do livro de José Carlos Noronha, comparecendo em Matosinhos.

O clínico não quis deixar de destacar o papel dos seus colaboradores, responsáveis por minimizar as preocupações, e referiu que, independentemente da cotação dos desportistas, todos são tratados de igual forma e merecedores da mesma atenção.