Troféu Cinco Violinos

01-08-2015 21:44

Leões passam teste romano com distinção

Emblema de Alvalade conquistou o segundo troféu da época.
Sportinguistas celebram o golo de Carlos Mané
Foto: JOSE SENA GOULAO/LUSA

Sportinguistas celebram o golo de Carlos Mané

Por André Delgado sapodesporto@sapo.pt

Na partida de apresentação aos sócios, o Sporting venceu a Roma, por 2-0, com golos de Slimani e Carlos Mané. Com este triunfo, a equipa leonina venceu pela quarta vez consecutiva o troféu cinco violinos.

Perante um grande ambiente em Alvalade, com 38.401 espetadores nas bancadas, o Sporting iniciou a partida com quatro reforços: João Pereira, Bryan Ruiz, Naldo e Teo Gutiérrez. Em relação ao último encontro frente ao Crystal Palace, Jorge Jesus fez descansar Rúben Semedo e Gelson Martins.

O técnico dos “leões “apostou num 4-4-2, com Teo e Slimani como os homens mais adiantados no ataque. Bryan Ruiz ocupou a posição de médio interior, com Carrillo mais solto numa das alas. O “leão” entrou muito pressionante, instalando-se rapidamente no meio campo romano. A equipa transalpina com menos ritmo e minutos nas pernas permanecia mais na expetativa.

As movimentações de Bryan Ruiz e Teo tentavam abrir espaços, mas a defensiva romana não dava facilidades. Um pouco contra a corrente, (27 minutos) foi a turma forasteira a primeira a criar perigo com um cabeceamento de De Rossi, de costas para a baliza. Depois foi Totti, com um remate exterior a tentar surpreender o guardião leonino. O Sporting respondeu num rápido contra-ataque, com Slimani a falhar a emenda, depois de um cruzamento pela esquerda. O jogo decaiu rapidamente e tornou-se lento e “pastelão” numa primeira parte que não deixou saudades.

No segundo tempo a equipa transfigurou-se. Jorge Jesus lançou Carlos Mané para o lugar de Ruiz, (alteração que se viria a revelar decisiva) tentando com isso imprimir mais velocidade ao conjunto da casa que entrou claramente mais afoito e resultou. Logo a abrir, João Mário criou perigo com um forte remate à baliza do guardião Szczesny (que entrou para o lugar de De Sanctis).

Só quase à hora de jogo, aconteceu a primeira grande oportunidade em Alvalade. Com Mané num passe com mel para Slimani, mas o argelino, não conseguiu fazer o golo, permitindo a intervenção de Szczesny.

Aos 60 minutos, Jorge Jesus fez mais três substituições, fazendo entrar Tobias, Montero e Ruben Semedo, para os lugares de Naldo, Teo e João Mário. As alterações parecem ter surtido efeito, porque passado apenas três minutos, Islam Slimani (63m) fez o primeiro da partida, com um grande cabeceamento depois de um pontapé de canto.

Depois de “aberto o ketchup”, a defensiva transalpina viveu períodos de alguma desorientação e logo a seguir, primeiro Montero (cabeceamento) e depois novamente Slimani (isolado), podiam ter dilatado a vantagem. Depois de tanta pressão, o segundo golo acabou mesmo por surgir, numa bomba de Carlos Mané, depois de uma defesa incompleta de Szczesny (69 minutos).

Até ao fim entraram ainda Esgaio, Marcelo Boeck e Wallyson, para os lugares de Adrien, João Pereira e Rui Patrício. Ao cair do pano, Montero podia ter feito o terceiro, mas o "keeper" forasteiro não o permitiu.

Ao minuto 92, momento muito feito na partida, com a expulsão de Yanga-Mbiwa, depois de uma entrada muito dura sobre Jonathan.

O Sporting passou o teste romano com distinção. Daqui por uma semana e um dia, os leões vão defrontar o Benfica no estádio do Algarve, confronto que vai atribuir o primeiro troféu da época, a Supertaça.

Conteúdo publicado por Sportinforma