Augusto Inácio

07-01-2016 19:04

"Sporting vai ter uma guerra em cada jogo"

O dirigente do Sporting acusa o Benfica de liderar uma campanha de desestabilização contra os leões e, sobretudo, contra Jorge Jesus.
Augusto Inácio
Foto: GASPAR CASTRO / SAPO Desporto

Augusto Inácio

Por André Delgado c/ redação sapodesporto@sapo.pt

Augusto Inácio prefere manter-se à margem no duelo de palavras entre Jorge Jesus e Rui Vitória, depois de o ambiente ter aquecido muito nas últimas horas, com o técnico do Sporting a dizer que não qualifica o seu sucessor no Benfica como "treinador".

Em declarações prestadas à margem da apresentação do livro de poesia do antigo jogador Pedro Gomes, em Lisboa, o atual diretor para as relações internacionais do clube de Alvalade salientou que isso é uma questão "pessoal" entre os dois técnicos rivais. "São coisas de cada um. Não posso comentar essas coisas. Já tenho de comentar algumas coisas no programa onde eu estou. Penso que há uma máquina de desestabilização bem montada da parte do nosso rival e por isso tenho de comentar outras coisas. Essas, a nível pessoal de cada um, não posso comentar", disse.

No entanto, o dirigente leonino reiterou o discurso contra o clube da Luz, ao considerar que os encarnados têm conduzido uma campanha de desestabilização junto de Jorge Jesus e dos leões. "Já se sabia no princípio da temporada quando o Jorge Jesus foi para o Sporting que iria haver tentativas de desestabilização da parte do nosso rival para que as coisas não nos corressem bem. Por isso temos de estar todos unidos, pois os ataques vão continuar a acontecer, como se tem visto nos programas televisivos: os ataques são constantes sobre o nosso treinador, o nosso presidente, o clube, mas isso faz parte da estratégia do adversário. A nossa é mantermos o foco de que temos de estar sempre melhores que os outros em todos os sentidos e é isso que a nossa equipa tem feito", frisou.

Paralelamente, Inácio defendeu que o Sporting está a conseguir ser superior sem ter tantas responsabilidades na luta pelo título como Benfica e FC Porto. "Benfica e FC Porto têm mais responsabilidades. O Sporting já não é campeão há muitos anos e o Benfica e o FC Porto têm uma máquina montada já de há muitos anos para cá. O Sporting está a tentar queimar etapas para chegar lá também, está no bom caminho. O grupo é forte, toda a gente está unida, a onda verde vai aumentando cada vez mais, os sócios acreditam, estão entusiasmados, mas não estão de peito feito, como alguns querem fazer crer que o Sporting já é campeão", sublinhou.

"O Sporting está à frente do campeonato com todo o mérito e tudo irá fazer para manter essa posição, mas ainda há muitas etapas para percorrer e muitos pontos para se ganhar. Se calhar alguns vão perder-se pelo caminho, mas o que é certo é que o Sporting mostra-se confiante e forte. Agora, isso não quer dizer que o Sporting seja já automaticamente campeão. Benfica e FC Porto têm excelentes equipas também e têm também os seus argumentos para poderem lutar pelo título. O Sporting vai ter em cada jogo uma guerra para se manter no primeiro lugar, mas não há dúvida nenhuma que quem vai à frente tem sempre mais vantagem e tem merecido estar no primeiro lugar", acrescentou.

A terminar, o diretor para as relações internacionais do Sporting apelou à manutenção da atitude e da concentração da equipa para o futuro. "Penso que o Sporting está neste momento muito bem. Há que ter os pés bem assentes no chão, trabalhar da mesma forma, com o mesmo afinco, com o mesmo apoio, e creio que o Sporting pode ser feliz no final", concluiu.

Conteúdo publicado por Sportinforma