Liga

04-08-2016 21:46

Jorge Simão recusa "constrangimentos" por treinar a 41kms de Chaves

Os responsáveis lembram que o clube simboliza a região de Trás-os-Montes e não apenas a cidade de Chaves.
8f5d17292d19831982861c6f311296e19306ecc2.jpg
Foto: © 2015

Jorge Simão é o novo técnico do Chaves

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O treinador do Desportivo de Chaves, clube promovido à I Liga de futebol, afirmou hoje que ter o centro de estágios em Vila Pouca de Aguiar, a 41 quilómetros, não traz "qualquer constrangimentos" à equipa técnica e jogadores. "Todos os grandes clubes funcionam em centros de treinos afastados do seu estádio", disse Jorge Simão, em conferência de imprensa.
O técnico avançou que para criar maior afinidade com os adeptos a equipa irá “de vez em quando” realizar treinos em Chaves.
Já o presidente da direção do clube, Bruno Carvalho, sustentou que o Desportivo de Chaves é um clube de "toda uma região" e não apenas de uma cidade, daí não haver "qualquer problema" em ter o seu centro de treinos numa localidade vizinha. “Vila Pouca de Aguiar abriu-nos as portas para podermos utilizar o complexo desportivo municipal e, ao virmos para cá, acentuamos ainda mais a certeza de que o clube é de Trás-os-Montes e não apenas de Chaves”, realçou.
O complexo desportivo de Vila Pouca de Aguiar, no distrito de Vila Real, é o centro de estágios do emblema `azul-grená´, porque Chaves tem apenas o relvado natural do estádio.
O dirigente do clube salientou que a câmara disponibilizou para a época 2016/17 as infraestruturas, mas, dado não estar preparado para receber uma equipa de I Liga, foi necessário fazer “algumas alterações” financiadas pelo Desportivo de Chaves e a câmara.
“Dotámos o espaço de uma sala de imprensa, alterámos a dimensão do terreno de jogo e mudámos as balizas e os balneários”, explicou.
E realçou: “O nosso objetivo é recolocar Trás-os-Montes na rota do futebol de primeira, enraizando-o, porque Chaves não é um clube de uma cidade, mas de toda uma região.”
O presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, entendeu que todas as autarquias do Alto Tâmega, que engloba seis concelhos, têm de assumir um compromisso com o clube, porque são muitas as vantagens socioeconómicas. “Não devemos pensar no Desportivo de Chaves como exclusividade de Chaves, porque influencia toda uma região e traz benefícios a todas elas”, entendeu.
Conteúdo publicado por Sportinforma