Primeira Liga

12-08-2016 16:06

Sporting mantém base e Jesus, mas tem problemas nucleares por resolver

Os atuais vice-campeões vão procurar vencer o título que não conquistam desde 2001/02.
Jorge Jesus
Foto: JOSE COELHO / LUSA

Jorge Jesus mantém-se como treinador do Sporting.

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Sporting parte para a época 2016/17 com a mais-valia de manter a base da equipa e o treinador Jorge Jesus, mas com problemas com dois futebolistas nucleares e sem ponta de lança para a estreia na I Liga.

Ao manter a base da equipa vice-campeã e o treinador, o Sporting criou condições para ser um forte candidato ao título, que não conquista desde a época 2001/02, uma vez que os jogadores já estão identificados com o modelo, o sistema de jogo e com o estilo de liderança de Jorge Jesus.

Na pré-época, a equipa somou cinco derrotas e muitos golos sofridos, com Mónaco, Zenit, PSV Eindhoven, Lyon e Bétis, dois empates, com o Nice e o Villareal, e duas vitórias, uma sobre os amadores suíços do FC Nyonnais e outra sobre o Wolfsburgo.

Na preparação da temporada, os ‘leões’, que este ano voltam à Liga dos Campeões, evidenciaram erros defensivos, que ajudam a explicar os 19 golos sofridos em nove jogos, e revelaram algumas dificuldades no processo ofensivo.

No plano individual, João Mário e Islam Slimani, dois jogadores fundamentais na equipa, parecem contrariados por permanecerem no Sporting, estado de espírito transmitido pelos seus representantes à comunicação social.

A permanência dos dois jogadores a contragosto poderá ter reflexos diretos na sua produtividade em campo, a não ser que o presidente do Sporting consiga solucionar o problema antes do fecho do mercado, e as suas eventuais saídas enfraquecerão claramente a equipa.

O Sporting vai dar o pontapé de saída na I Liga, no sábado, frente ao Marítimo, em Lisboa, sem um ponta de lança de raiz, uma vez que Slimani está castigado, e forçado a adaptar o argentino Alan Ruiz, um dos reforços para a época em curso (juntamente com o irmão Federico), que é um segundo avançado, talhado para jogar nas costas do número 9.

As debilidades no ataque surgem sobretudo devido às contratações falhadas da época passada do colombiano Téo Gutierrez e do argentino Hernán Barcos, ambos de saída de Alvalade, agravadas pela infelicidade da lesão do reforço lituano Lukas Spalvis nesta pré-epoca.

Com o campeão europeu Rui Patrício a ser cobiçado por alguns emblemas europeus, mas ao que tudo indica a manter-se em Alvalade, os ‘leões’ asseguraram a contratação do guarda-redes internacional Beto, formado nas escolas do clube, que se desvinculou em maio dos espanhóis do Sevilha.

A equipa-base da temporada passada dá algumas garantias, mais ainda após um ano de identificação e de consolidação de rotinas, mas a verdade é que na época 2015/16 a “manta" se revelou "curta” para fazer face a todas as competições nas quais o Sporting esteve envolvido, nomeadamente na Liga Europa, cuja participação Jorge Jesus negligenciou para se focar no campeonato.

A entrada direta na Liga dos Campeões “obriga”, ainda mais, os ‘leões’ a acertarem nos reforços até final do mês de agosto, com a aquisição de jogadores que possam entrar diretamente no onze ou serem alternativas à altura dos titulares, nomeadamente de um defesa central e de um ponta de lança.

Conteúdo publicado por Sportinforma