Sporting

16-08-2016 10:18

Bruno de Carvalho 'estica a corda' por João Mário até aos 50 milhões de euros

As negociações entre Sporting C. Portugal e o Inter de Milão tendo em vista a transferência de João Mário para Itália prosseguem.
De Boer:

João Mário em ação pelo Sporting

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, esteve ontem em Milão a negociar a transferência de João Mário para o Inter, e, de acordo com o jornal O JOGO, procurou convencer os dirigentes do emblema nerazzurri a aumentar o valor global do negócio dos 45 milhões para os 50 milhões de euros.

Segundo escreve o referido jornal desportivo, o líder leonino procurou convencer os dirigentes do Inter de Milão a pagar 40 milhões de euros pelo passe definitivo de João Mário depois dos 10 milhões de euros acordados pelo empréstimo de uma época do médio português campeão europeu.

De acordo com a informação veiculada pelo jornal O JOGO, Bruno de Carvalho esteve reunido com Piero Ausilio, diretor desportivo do Inter, e Kia Joorabchian, consultor de mercado do clube italiano, numa reunião onde o líder leonino apresentou os argumentos do clube português para elevar a fasquia dos 35 milhões de euros propostos pelo Inter para os 40 milhões de euros para libertar João Mário a título definitivo no início da próxima época.

Caso o Sporting consiga vender João Mário ao Inter de Milão por 50 milhões de euros, Bruno de Carvalho conseguiria praticamente duplicar a transferência mais cara do clube de Alvalade uma vez que em 2007 o Manchester United pagou um total de 25,5 milhões de euros por Nani.

No entanto, caso a operação global de 50 milhões de euros venha a ser uma realidade, o Sporting só irá receber um total de 26,75 milhões de euros: 10 milhões do empréstimo de um ano mais 16,75 milhões de euros relativos à transferência definitiva de João Mário, uma vez que 11,25 milhões de euros iriam para a Quality Football Ireland Limited, detentora de 25% do passe, enquanto que 12 milhões (30% de 40 milhões de euros) iriam diretamente para a banca como obrigação de pagamento em transferências superiores a 8 milhões de euros.

Conteúdo publicado por Sportinforma