FC Porto 1-0 Estoril

21-08-2016 09:11

Análise: Em nome do pai, do filho e do André Silva

Os adeptos portistas sofreram e tiveram de se benzer no regresso ao Dragão para o campeonato. André Silva apareceu no momento certo como se um anjo salvador se tratasse.
André Silva marcou aos 84' no Dragão
Foto: Fernando Veludo/Lusa

André Silva marcou aos 84' no Dragão

Por João Agre sapodesporto@sapo.pt

Resumo

O FC Porto recebeu e venceu, este sábado, o Estoril-Praia por 1-0, em jogo referente à segunda jornada do campeonato português. André Silva marcou, aos 84 minutos, o único golo da partida, jogado com muita ansiedade por parte dos homens de azul e branco. Quanto ao onze inicial, o treinador Nuno Espírito Santo fez bastantes alterações em relação ao apresentado na quarta-feira passada diante da Roma. Na defesa, a entrada de Miguel Layún foi previsível devido ao castigo de Alex Telles. No meio-campo, saltaram à vista as entradas de Corona e Rúben Neves. No ataque a surpresa foi mesmo Silvestre Varela. No segundo tempo, Nuno Espírito Santo lançou André André e Sérgio Oliveira, para os lugares de Herrera e Otávio respetivamente.


Os lances polémicos

Aos 4’, boa iniciativa de Corona na esquerda, a cruzar para a área, mas Varela não conseguiu chegar para o desvio. O extremo portista ficou a queixar-se de um empurrão nas costas de Joel, mas o árbitro Luís Ferreira mandou seguir. Aos 79’, André Silva caiu perante a oposição de Thiago Cardoso e ficou a protestar mas, Luís Ferreira mandou seguir e a defensiva do Estoril resolveu.


Momento-chave

O golo da vitória portista surgiu nos minutos finais, com André Silva a ser o salvador. Num bom cruzamento na esquerda de Layún para a área, surgiu o avançado português a cabecear colocado, sem hipótese de defesa para Moreira.


Jogador em destaque

André Silva: Só poderia ser mesmo ele. O novo menino-bonito do Dragão. O jovem avançado do FC Porto marcou nos últimos cinco jogos oficiais:, dois na época passada e três golos em três jogos esta temporada. Depois de ter tentado inúmeras vezes ‘rebentar’ com a muralha estorilista, André Silva encontrou, de cabeça, o caminho para o golo ontem à noite. Silva continua está em todos os bons momentos da equipa e revela a confiança que o FC Porto precisa para a nova temporada.


As vozes dos protagonistas

Nuno Espírito Santo: "Acho que a equipa foi inexcedível no seu esforço. Tivemos imensas ocasiões, pressionámos e procurámos o golo. Estava difícil de materializar as ocasiões de golo, mas este resultado é inteiramente merecido. Esta equipa para ter êxitos passa por ser uma fortaleza em casa e nós temos de ser muito fortes em casa”.

Fabiano Soares: "Foi uma semana difícil para nós, com muitas lesões. Quase conseguimos levar a cabo a estratégia, mas não deu para somar pontos e a derrota é má para nós. Mais do que as lesões, há carências em algumas posições e alguns jogadores que ainda não apresentam o ritmo competitivo que eu gostaria de ver”.

Sérgio Oliveira: "O importante não é chegar ao golo cedo ou tarde, o mais importante é sair daqui com os três pontos. Mostrámos que jogámos com o objetivo de ganhar, foi o jogo todo "Porto, Porto, Porto", a bola entrou um bocado mais tarde, mas o mais importante foram os três pontos".


Curiosidade

André Silva faz o mesmo que Fernando Gomes (1976/77), ao ser o jogador mais jovem a marcar em cinco ou mais encontros consecutivos pelos Dragões.

Conteúdo publicado por Sportinforma