I Liga

23-08-2016 12:11

Manuel Oliveira pode voltar a apitar jogos do Benfica

Nova filosofia do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol impede o afastamento de Manuel Oliveira de jogos do Benfica.
Manuel Oliveira expulsa Ricardo Batista durante um jogo entre FC Porto e Vitória de Setúbal
Foto: José Coelho

Manuel Oliveira expulsa Ricardo Batista durante um jogo entre FC Porto e Vitória de Setúbal.

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O árbitro portuense, Manuel Oliveira, vai continuar a ser opção para apitar os jogos do Benfica esta época uma vez que o novo Conselho de Arbitragem da FPF, liderado por José Fontelas Gomes, não irá vetar qualquer juíz, impedindo-o de dirigir encontros de qualquer clube.

Segundo escreve o diário Record na sua edição de terça-feira, o organismo liderado por José Fontelas Gomes pretende dar continuidade a uma filosofia iniciada por Vítor Pereira a título experimental, e que permitiu o regresso de Bruno Paixão aos jogos do Sporting.

Sendo assim, o novo Conselho de Arbitragem irá voltar a nomear Manuel Oliveira para um jogo do Benfica sempre que entender. É pouco provável que o árbitro portuense volte a dirigir um jogo dos 'encarnados' nas próximas semanas, mas nada impede o organismo liderado por José Fontelas Gomes de escolher Manuel Oliveira para jogos do Benfica até ao final da temporada.

Recorde-se que a arbitragem do árbitro portuense no último jogo entre Benfica e Vitória de Setúbal não gerou consenso, nomeadamente na Luz, onde as críticas à forma como Manuel Oliveira conduziu a partida tiveram eco nas palavras de Rui Vitória, em conferência de imprensa, e de Luís Filipe Vieira, que terá mostrado a sua indignação na Tribuna Presidencial ao vice-presidente do Conselho de Arbitragem, João Ferreira.

De acordo com o referido jornal desportivo, o Conselho de Disciplina poderá agora avançar com a abertura de um processo ao presidente do Benfica pelas palavras proferidas pelo dirigente encarnado após o jogo com o Vitória de Setúbal, mesmo que o Conselho de Arbitragem não apresente uma queixa formal.

Conteúdo publicado por Sportinforma