Nacional 1-3 Benfica

28-08-2016 10:30

Carrillo entrou e resolveu para o Benfica

Carrillo desatou o nó e Jiménez sossegou os corações encarnados na Madeira.
Carrillo estreou-se a marcar pelo Benfica
Foto: LUSA

Carrillo estreou-se a marcar pelo Benfica

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Resumo
Depois de ter ficado ausente do jogos do Benfica devido a lesão, Jonas entrou na equipa titular para o lugar de Cervi, com Salvio e Pizzi nos corredores. Mitroglou ficou no banco de suplentes. Ali Ghazal marcou na própria baliza na primeira parte, colocando o Benfica em vantagem ao intervalo. No segundo tempo, Tobias Figueiredo empatou (64’), mas os golos de Carrillo (70’) e Raúl Jiménez (92’) deram o triunfo ao Benfica.


Momento-chave
O golo de Carrillo: Aos 67 minutos, Carrillo entrou para o lugar de Pizzi e o ex-jogador do Sporting precisou apenas de três minutos para brilhar na partida. Após boa jogada dos encarnados, com Jiménez a lançar Salvio na área e o argentino, por sua vez, serviu o peruano que rematou com "raiva" para o fundo das redes. O golo do peruano desbloqueou o jogo e deu ânimo ao Benfica (e desconcentrou o Nacional) para marcar o terceiro.

Jogador em destaque
Poderia ser Carrillo, mas o título vai mesmo para Raúl Jiménez. O mexicano demonstrou que tem garra e que procura insistentemente o golo. Mais, tem-se mostrado sempre disponível para ligar o meio campo e o ataque encarnado, fazendo-o com distinção. Por se saber movimentar muito bem, cria grandes problemas (e tonturas) nos jogadores adversários. No final de tudo, ainda marcou o golo que sossegou os corações encarnados.

As vozes dos protagonistas
Rui Vitória: “Sabemos que o Nacional tem uma belíssima equipa e está cada vez mais forte. Nós entrámos em campo a querer mandar no jogo. Enquanto não fizemos o segundo golo o adversário acreditou, mas a equipa estava convicta e marcou. Palavra de apreço aos meus jogadores pela disponibilidade nesta deslocação difícil”.

Manuel Machado: “O Benfica é uma equipa de um nível diferenciado. Nós fizemos um excelente jogo apesar dos erros. Cozinhámos os golos para o Benfica. No terceiro já estávamos diminuídos. Tive um ponta-de-lança a jogar a trinco e um extremo a defesa-central e ficámos ainda em inferioridade numérica. Depois surgiu o terceiro golo. Em termos de jogo jogado foi muito igual e agradeço aos meus jogadores pela organização, espírito combativo e pela estratégia”.


Curiosidade
Rui Vitória somou a 13.ª terceira vitória consecutiva fora de casa, diante o Nacional (1x3).

Conteúdo publicado por Sportinforma