José Couceiro

04-09-2016 16:40

"Em 2004/2005 se não saísse para o FC Porto o Setúbal ia cair num buraco"

Na final de 2005, o Vitória de Setúbal venceu o Benfica por 2-1 e conquistou a sua 3ª Taça de Portugal.
O treinador do Vitória de Setúbal, José Couceiro
Foto: Lusa

O treinador do Vitória de Setúbal, José Couceiro

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

A ida de José Couceiro do Vitória de Setúbal para o FC Porto em 2004/2005 não foi bem aceite por muitos setubalenses. O técnico foi acusado de ser um traidor. Doze anos depois, Couceiro veio contar a sua versão dos factos, numa entrevista ao jornal OJogo. O treinador, que voltou esta época ao Setúbal, garante que a sua saída para os ´dragões` acabou por salvar o clube setubalense.

"Quando fui para o FC Porto, o Vitória vivia uma das maiores crises financeiras de sempre. Eu estava com muitos meses de salários em atraso, e os jogadores também. A equipa estava a fazer um campeonato muito bom. Começou a cair quando começámos a ter problemas. Mesmo assim, fui para o FC Porto depois de um empate em Alvalade. Aceitei o convite para financiar o V. Setúbal; nunca o clube ganhou tanto dinheiro com um treinador", começou por contar.

"O clube ia para o buraco. Algumas pessoas que já se manifestaram, já escreveram, não conhecem a história. Era fundamental para o Vitória fazer um encaixe financeiro. E no bolo foram o Paulo Ribeiro e o Sandro. Nós sabemos o que se passou até à final da Taça nesse ano. Fui parte da solução, não fui parte do problema. Uma mentira é tantas vezes dita que parece que sou o bandido, mas não. Grande parte do dinheiro dessa transferência seria para mim, bastava-me rescindir contrato com justa causa. Ia ganhar muito mais dinheiro. Não quis, e há testemunhas", justificou o técnico.

Apesar disso, os problemas continuaram no clube, com os jogadores a terem muitos meses de salários em atraso. Inclusive ameaçaram não comparecer na final da Taça de Portugal nessa época. Foi José Couceiro, já no FC Porto, que os convenceu a ir a jogo.

"O V. Setúbal chegou à final da Taça e os jogadores quiseram a minha presença. Disse-lhes que não podia. Estava contratualmente ligado ao FC Porto, é verdade que ia sair, tinha até destino. Os jogadores compreenderam. Vim, sim, receber a medalha da cidade, porque aí era diferente. Vim com todo o orgulho. Mas é bom que as pessoas fiquem a saber, e é a primeira vez que o conto com esta frontalidade", disse o técnico ao jornal OJogo.

Na final de 2005, o Vitória de Setúbal venceu o Benfica por 2-1 e conquistou a sua 3ª Taça de Portugal.

Conteúdo publicado por Sportinforma