Benfica

08-09-2016 07:59

De Taraabt a Jorge Jesus, confira tudo o que disse Luís Filipe Vieira

Luís Filipe Vieira apontou ao 'tetra' e assumiu que a afirmação do Benfica na Europa é um dos objetivos. Em entrevista à TVI, o líder dos 'encarnados' falou ainda dos gastos de mercado e dos 'flopps' Ola John e Taraabt. Confira tudo o que disse o presidente do Benfica
Luís Filipe Vieira e Rui Vitória
Foto: MIGUEL A. LOPES / LUSA

Luís Filipe Vieira e Rui Vitória no dia da apresentação do técnico do Benfica

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Relação com outros clubes: "Tenho respeito por quem trabalhou comigo, mas virei a página. O presidente do Sporting e do FC Porto foram eleitos pelos adeptos deles. Concorde ou não, não tenho nada que dizer. O presidente do FC Porto quando foi preciso resolver o problema da Liga sentei-me com ele frente a frente. Não tenho problema nenhum em cumprimentá-lo. Não tenho nada contra ele, nem contra ninguém, mas quero que respeitem o Benfica. Mas dentro do campo quero ganhar. Não vou esquecer determinadas frases e transformar numa paródia."

O que mudou em 15 anos: "Não quero dizer o que foi feito, mas nós investimos uma fortuna no Museu para dizer a todos que o Benfica tem memória. Pela primeira vez na história do Benfica tratou-se do passado. Quando Vilarinho chegou, o Benfica não existia. Quando se entrava no Estádio ficava impressionado. Chovia lá dentro. Quando vi o Museu arrepiei-me. Taças desapareceram, estavam a ser vendidas na internet. Deixámos o Benfica num estado que não pode voltar a repetir-se"

Plano B para Rui Vitória: "Benfica tem estrutura profissional. Rui Vitória faz parte. Tem contrato de três anos e vai cá ficar muitos e bons anos. Mas se um dia sair, passado 24 horas apresentamos um novo. Estão identificados. Se calhar ainda nem começou. Mas estamos tão felizes e o Rui está tão apaixonado por aquela casa que nem pensamos nisso."

Dívida: "Vamos ter capacidade de continuar competitivos, baixar folha salarial e reduzir a dívida para 200 milhões de euros."

Modalidades: "Benfica é competitivo em tudo sem nunca abdicar de tudo o que já se fez para trás. Nas modalidades mantemos o mesmo orçamento de há quatro anos. Também nas modalidades há uma estratégia e um trabalho de base. Ano a ano são bem visíveis. Os nossos principais concorrentes têm o triplo do nosso orçamento em determinadas modalidades. Mas não nos vamos desviar do nosso caminho."

Próxima época e mercado: "Já estamos a trabalhar para a próxima época. Sentimo-nos confortáveis com o que pensamos que poderá surgir de movimentações, tanto em dezembro como no verão. Não estou muito preocupado com isso. A tal inversão vai suceder. Não posso falar de quem pode sair, mas sei que os vai substituir."

NOS: "Estamos felizes com o contrato que temos mas se tivermos de percorrer o caminho da clarificação de algumas das coisas combinadas vamos percorrê-lo".

Proença e centralização dos direitos televisivos: "Apoiávamos Luís Duque. Foi a primeira vez que houve unanimidade à volta de um candidato e pela primeira vez foi escolhido alguém que ninguém sabia. Depois de Proença ser eleito nós não fazemos mais nada do que apoiar. Estes contratos chorudos foram obra de alguém que um dia se lembrou se estariam interessados nos direitos do Benfica fez com que aqueles que ofereciam o patrocínio das camisolas por dois milhões de euros tenham ficado ricos. Benfica não se opõe à centralização mas não pode ficar prejudicado. Precisamos de todos para competir. Temos contrato 10 anos, outros de 12."

Garay e guerra com Real Madrid: "Ninguém entendeu essa queixa. Garay nunca quis renovar. Ele avisou-nos que se não o vendessemos antes do Mundial em janeiro assinava livre e não ganhávamos nada. Bayern não oferecia nada, isso é conversa. Há algum clube que pague 15 milhões por um jogador que fica livre daí a um ano. Este caso é limpo como a neve. Garay queria regressar ao Benfica agora, falámos muitas vezes. Por esse dinheiro também o queríamos, mas eles pediam 20 ou 25. Porque tinha três anos de contrato."

Queixas sobre arbitragem recentes: "Benfica tem valorizado a arbitragem. Sabemos que lhes damos condições para fazer um trabalho sério. Nos últimos três anos falei duas vezes da arbitragem. Curiosamente... sobre o mesmo árbitro. E foi isso que questionei em privado. Não ligo aos elogios dos outros. É o mesmo em relação ao Vítor Pereira. Nos 10 anos em que ele esteve no Conselho nós ganhámos quatro campeonatos e o FC Porto os outros. Só passou a ser mau quando o Benfica começou a ganhar."

Segredo do título: "Grande segredo foi a equipa puxar pelos adeptos. Fiquei triste com a maneira como depois de ganharmos em Alvalade criticaram a equipa do Benfica. Um ano antes tinha estado em Alvalade, fizemos um remate, levámos um banho de futebol e marcámos no único remate que alguém disse que foi uma jogada estudada."

Estrutura: "Não há ninguém que ganhe sozinho. Quando Jesus saiu toda a gente achou que o Benfica tinha acabado e isso não aconteceu."

Liga dos Campeões: "A partir dos oitavos-de-final e quartos-de-final tudo pode acontecer. Com o Bayern achavam que íamos ser goleados. O único que teve bom senso de ter humildade foi o Guardiola, que nunca teve esse excesso de confiança"

Rúben Amorim: "Vai ser emprestado para fora. Ele foi pai recentemente e sei os motivos que ele tem para ir para o estrangeiro. Posso garantir que não vamos cobrar nada. Vamos respeitá-lo. Ele é que quis sair."

Markovic: "É profissional e não me surpreendeu. No futebol nada me surpreende. Todos nós temos um carinho especial por um ou outro atleta, mas temos de perceber que ele são profissionais, pais, têm família e filhos. A carreira é limitada. Há poucos jogadores estrangeiros que só joguem num clube de um país. Markovic só cá esteve um ano. Não têm identidade nenhuma de Benfica. Foi feliz com Jesus, quis voltar e ninguém pode levar a mal. Têm de ganhar dinheiro. Renato é benfiquista louco, mas como é que Renato pode ficar no Benfica com aquela proposta?"

Talisca: "Poderia ter saído, mas não o conseguimos inscrever em Inglaterra. Ele queria ir-se embora e ganhar mais dinheiro. É legítimo."

Renato: "Já sou criticado por tê-lo vendido por 35 milhões, com dinheiro à vista. Não há nenhum jogador que possa valer isto."

Gaitán: "Gaitán queria experimentar outros mercados e no ano passado rejeitou uma proposta milionário para um mercado emergente. Ele queria jogar em Inglaterra e Espanha e fizemos-lhe a vontade, ganhando muito menos."

Rafa: "Quando ele diz que só quer o Benfica não o podíamos deixar escapar. Se custasse 20 comprávamos na mesma."

Cancelo e Bernardo: "Impossível resgatá-los. Cancelo vai ser top mundial. Bernardo basta olhar para o jogo da seleção que ele fez."

Taraabt: "Taraabt é culpa minha e do Rui Costa. Mas é bom jogador. Quem não decide é que sabe tudo na vida. Eu não percebo nada de futebol, mas tenho um gajo ao meu lado que percebe muito, que é o Rui Costa. Vimos e revimos jogos dele. Mas há coisas que lhe falham. Chegou com seis quilos a mais mas hoje está dentro do peso. Depois da entrevista que deu, não vestirá a camisola do Benfica de certeza. Mas vamos ter a habilidade suficiente para o emprestar."

Números '8' suficientes?: "Achamos que os '8' que temos chegam para o nosso plantel. O treinador que tenho é humilde e sabe conversar. Temos André Horta, que é da formação, benfiquista cem por cento. É titular neste momento. O outro é o Danilo, que faz de '8'."

Plano desportivo e financeiro: "Quem está atento ao Benfica sabe que o plano financeiro está em marcha. Sou do tempo em que quando quisemos lançar os primeiros jogadores a comunicação social foi toda acusar-nos que com meninos não se ganhava campeonatos."

André Gomes, Cancelo, Bernardo: "Há um período de tempo no Benfica em que nada podia ser planeado, mas hoje há um treinador com o qual posso planear a três ou quatro anos. Acabámos por fazer um ótimo negócio. Se juntarmos isso aos 60 milhões do Renato (que são 60 e não 35, por 25 são fáceis de fazer). Anda na moda discutir quem é que vende mais ou menos."

Carrillo: "Aparece por numa transação que íamos fazer propunham-nos o Carrillo como empréstimo, essa foi a exceção. Todos os outros são muito jogos. Zivkovic chegou, não vai à Champions, mas esquecem-se que esteve parado seis meses e só fez um jogo connosco. Mas no próximo ano vai ser uma muito mais-valia desportiva para nós. Tenho a certeza. Não vamos andar nunca sufocados à procura de jogadores."

Falta de jogadores novos da formação: "Em qualquer das posições excepto no ponta-de-lança e na posição 8, temos pelo menos dois jovens da formação para cada lugar. A equipa B do Benfica tem uma média de idades de 19.3. É a mais jovem do futebol profissional. Há pelo menos 11 jogadores que são seniores de primeiro ano. Há ainda três juniores, dois deles de primeiro ano: o João Filipe e o José Gomes."

Esclarecimentos sobre Luisão: "Tenho relação com Luisão como não tenho com outro. É um amigo meu. Muitas vezes o convenci a não sair. O que há é um homem com 35 anos que quer prolongar a sua carreira. Se um dia aparecer algo será ao encontro à vontade do Luisão e nunca contra. Nunca iria fazer. Luisão está forte e é feliz. É o capitão jogue ou não jogue. Nunca o Benfica quis correr com Luisão. Ainda ontem falei com ele e ele disse que está feliz e forte. A comunicação social é que diz que ele acabou, mas ele vai provar a toda a gente que não. Se o Luisão quiser vir cá ser entrevistado, pode vir... "

Estrutura de topo: "Benfica é uma família. Não há outra maneira e seria difícil estar tanto tempo no Benfica não sendo assim. Os jogadores sabem o compromisso que tenho com o clube. Benfica tem uma estrutura que está a nível do top top mundial e é reconhecida por grandes clubes como é o caso do Bayern. Não há um passo que dê sem ser o Benfica a dar primeiro. Depois é fácil copiar. Benfica é o clube da lusofonia".

Jornais e programas: "Não leio jornais, não vejo programas. Para quem pensa no Benfica como eu penso não pode estar a ser influenciado. Tenho uma estrutura muito competente e isso é o que conta. Sporting e FC Porto não me preocupam nada."

Eleições: "Maior gozo que vou ter é provar que se consegue fazer um Benfica 'made in Benfica'. Neste momento temos 56 miúdos a residir, temos toda a gente dentro do Seixal e queremos aumentar a capacidade. Aqueles que me conhecem sabem que a minha menina dos olhos será o Seixal. Projeto principal. Já estamos na China, vamos ter uma parceria com um parceiro forte. Na rede digital queremos estar mais próximos também".

Jiménez caro?: "Preferimos arriscar, porque se o Benfica foi campeão também se deve aos golos dele. Estou convencido que ele vai justificar o investimento e será um dos avançados mais temíveis da Europa. Acho que ele vai ser a venda mais cara da história do futebol português de sempre. É o meu 'feeling'."

Rafa: "O que se passou com o Rafa é absurdo. Sporting, FC Porto e Benfica estiveram interessados e quem decidiu foi ele. Já aconteceu ao contrário e eu perdi jogadores para o FC Porto. Admiro o caráter dele e a força com que quis o Benfica. Se calhar o Benfica não foi aquele que lhe ofereceu mais dinheiro, mas em termos desportivos joga em três posições, é jovem é português e tem tudo para se afirmar."

Jorge Mendes: "Hoje é um parceiro nosso. Não temos problema nenhum. A relação que tenho com ele é completamente aberta. Nós dizemos o que queremos cobrar e ele cobra uma percentagem que pode chegar a 10 por cento. Temos mentalidade empresarial e não temos problema algum em dizer o que se passar. No Benfica queremos verdade. Temos havido muita demagogia nas últimas semanas."

Luisão: "É o meu companheiro de percurso. Benfica conta com Luisão, ele está forte e feliz no Benfica. Ele acaba contrato, mas quem me conhece sabe que haverá um momento certo para falar com ele. Jorge Jesus sobre o assunto nem conta para mim. Recordamo-nos bem a relação que o Jesus tinha com os jogadores. O empresário do Luisão há pouco tempo queria levá-lo para o Cruzeiro."

Equilíbrio: "Sabemos onde é que falta crescer mais e por isso fomos ao mercado. Sabemos que alguns jogadores poderão sair, mas temos a certeza que com o que temos teremos sempre um plantel bastante sólido."

Jorge Jesus: "Jesus é uma página do passado do Benfica. Foi um homem que trabalhou comigo durante seis anos. Não tenho nada a apontar-lhe, tirando o dia em que saiu por opção dele. É um excelente profissional, bom treinador, mas hoje o meu treinador chama-se Rui Vitória e o campeão é ele. Já não me interessa falar dele, é passado, está na história. Ganhou três títulos, também perdeu outros quando achavam que era impossível perder. Ninguém o queria quando alguém o agarrou. Ninguém lhe tira os méritos, mas para o projeto que o Benfica tem... toda a gente que conhece o Jorge sabe que a maneira que ele tem de trabalhar não serve os interesses do Benfica."

Seixal: "Em 10 anos vejam o que já produzimos de jogadores. Vamos ter 100 por cento de jogadores feitos no Seixal. Com planeamento a longo prazo não tenho dúvidas que vamos lá chegar. Uma grande parte das seleções jovens são formados no Benfica. Não há hipótese de comparar o Benfica atual com o de há 15 anos."

Afirmação na Europa: "Queríamos três títulos, uma final europeia e 50 títulos nas modalidades. Alcançámos. Temos de continuar a sonhar com uma final europeia. No ano passado fizemos tremer o Bayern Munique. Eles tremeram connosco. Cada vez mais temos de pensar assim. Internamente queremos sempre ganhar e na Europa temos de lá estar. Há um dia que o sucesso vai chegar."

Objetivo é fazer história: "Grande objetivo é grande afirmação na Europa e o tetra. O Benfica tem de fazer história. Nunca fez um tetra e tem essa possibilidade. Temos de estar juntos. Isto não é como começa, é como acaba. Sabemos como foi no ano passado, em que passámos para a frente na altura certa. Essa identidade faz com que cada vez mais seja natural o Benfica ganhar. Estamos mais fortes do que há um ano."

Mudança de paradigma com novo treinador: "Rui Vitória é um grande treinador e um grande gestor, identificado com o Benfica e com todo o projeto, desde os iniciados, aos juvenis, ele conhece todos os jogadores do Benfica. Temos cerca de 250 atletas diariamente no Seixal. Neste momento posso garantir que temos bons jogadores para todas as posições."

Mercado: "Benfica está mais forte. Preparámos a época desde princípios de novembro, principalmente nas posições que entendíamos importante. Fomos à procura de jogadores que entendíamos possíveis e queríamos, pela sua juventude. Benfica está mais novo e cada ano que passa vai ficar mais novo. Benfica vai manter uma estrutura de muita experiência, mas abrir o leque a mais juventude. O investimento que fizemos este ano vai fazer com que nos próximos três ou quatro anos pouco ou nada tenhamos de investir. Só num caso especial iremos ao mercado. Dentro do Seixal estamos bem em todas as posições."

Conteúdo publicado por Sportinforma