Análise Tondela 0-0 FC Porto

19-09-2016 07:26

Já se pode falar em crise no FC Porto ou ainda é cedo?

Frente ao Tondela os ´dragões` somaram o segundo empate seguido e já perderam cinco pontos nesta edição 2016/2017 da I Liga em apenas cinco jogos.
FC Porto desolado após empate com Tondela
Foto: Lusa

FC Porto desolado após empate com Tondela

Por Evandro Delgado sapodesporto@sapo.pt

A pergunta pode parecer precipitada mas para quem viu os últimos jogos do FC Porto não terá ficado impressionado. Frente ao Tondela os ´dragões` somaram o segundo empate seguido e já perderam cinco pontos nesta edição 2016/2017 da I Liga em apenas cinco jogos. Pior que o empate frente ao Tondela, foi mesmo a exibição: demasiado pobre para quem se afirma candidato ao título.


O jogo

O empate na quarta-feira com o Copenhaga para a Liga dos Campeões irritou, e de que maneira, o técnico Nuno Espírito Santo. Na antevisão do jogo com o Tondela, o treinador referiu que o resultado era para esquecer mas a exibição não. Descontente com a prestação da equipa na Champions, Nuno mudou cinco peças no onze dos azuis-e-brancos, dando a titularidade a Boly, Rúben Neves, André André, Brahimi e Depoitre. Era o regresso ao 4x4x2 mas diferente da que tinha apresentado frente ao Vitória de Guimarães. O FC Porto jogava com quatro homens de cariz ofensivo e dois médios de posse e passe mas sem músculo.

O Tondela, último da Liga, vinha com a lição bem estudada: defender com onze jogadores atrás da linha da bola, acantonados no seu meio-campo, com um bloco baixo e linhas juntas, tentando ganhar a bola e sair para o ataque. O plano era perfeito, faltou apenas sair para o contra-ataque.

A falta de ideias dos ´dragões` no primeiro tempo era confrangedora. Cláudio Ramos, guarda-redes do Tondela, só foi incomodado aos seis minutos, quando saiu para travar um remate de Depoitre (deu mal na bola, quando tinha tudo para marcar). O ataque do FC Porto resumia-se a isso e a alguns rasgos individuais de Brahimi e Otávio, mas sem consequências de maior. Nuno não gostava do que viu e meteu Corona, Óliver e Adrian Lopez nos lugares de Depoitre, Otávio e Brahimi. Tirando Óliver, pouco acrescentaram.

O Tondela, mais atrevido na segunda parte (pelo menos na primeira meia hora), podia ter marcado mas Casillas negou o golo a Murillo. O FC Porto, aflito e sem ideias, teve de forçar o andamento na reta final mas o jovem André Silva mostrou que continua de costas voltadas para o golo. Falhou três oportunidades flagrantes, duas delas isolado perante Cláudio Ramos. O último suspiro do Dragão caiu nos pés de Adrian Lopez mas o espanhol continua com a sua relação complicada com as balizas contrárias e rematou contra o guarda-redes. Os adeptos azuis-e-brancos não devem ter gostado nada do que viram. Mais que os dois pontos perdidos, foi a exibição da equipa. Muito pouco para um candidato ao título. A resposta à Porto que NES pediu terá de ser dada no próximo jogo: é contra o Boavista no Dragão, na próxima sexta-feira.

Momento-chave

Apesar de ter feito uma exibição pobre, o FC Porto produziu futebol que dava para ganhar o jogo, não fosse o desperdício de André Silva. Numa altura em que o FC Porto carregava na busca da vitória, o avançado teve uma soberana oportunidade aos 83 minutos mas, na cara de Cláudio Ramos, rematou contra o guarda-redes. Falhou outro golo cantado no minuto seguinte, rematando às malhas laterais.


Os melhores

Cláudio Ramos, guarda-redes do Tondela fez uma primeira parte tranquila e só foi chamado a intervir aos seis minutos. Mas na parte final do encontro teve de se aplicar a fundo para negar, por duas vezes, o golo ao FC Porto. Primeiro a André Silva e depois, já nos descontos, a Adrian Lopez. No geral, a defensiva do Tondela esteve bem.

Os piores

Depoitre foi um ´peixe fora de água` neste jogo. Teve apenas uma oportunidade mas desperdiçou-a. Nunca conseguiu combinar com André Silva. O jovem avançado também esteve mal. Movimentou-se bem mas, na hora de finalizar, não teve calma. A defesa do FC Porto não se mostrou tranquila, principalmente os centrais. Mesmo num jogo como este, Boly e Filipe conseguiram cometer erros. Casillas teve de os salvar.

As vozes dos protagonistas

Nuno preocupado: "Para sermos campeões temos de ganhar estes jogos"

Rúben Neves: "Tipo de jogo do Tondela não é bom para o futebol"

Petit: "Empate pode dar um clique para a equipa se soltar"

Hélder Tavares queria um penálti, Cláudio Ramos nega antijogo

Curiosidade

O FC Porto soma dez pontos à 5.ª jornada. É a pior pontuação desde 2009/10 com Jesualdo Ferreira, altura em que terminou em 3.º lugar.

É o 2.º jogo consecutivo fora de casa do FC Porto a perder pontos (derrota com Sporting e empate com Tondela).

Num intervalo de cinco meses o FC Porto perde pontos pelo 2.º jogo consecutivo com o Tondela.

Conteúdo publicado por Sportinforma