Rio Ave

20-09-2016 22:18

Tarantini apresenta projeto inovador para ajudar futebolistas em final de carreira

Capitão do Rio Ave lança projeto para ajudar desportistas a gerir final da carreira.
Tarantini
Foto: JOSE COELHO / LUSA

Tarantini celebra um golo pelo Rio Ave

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O jogador do Rio Ave Tarantini apresentou hoje um projeto que pretende sensibilizar e ajudar jogadores de futebol, e desportistas em geral, a gerir as expectativas e o final das suas carreiras.

A iniciativa, que terá como face mais visível o site www.tarantini.pt, irá analisar, compilar e divulgar dados sobre desportistas que não conseguiram preparar a sua vida, pessoal e financeira, no final da carreira, partilhando ferramentas e estratégias para o evitar.

O capitão do Rio Ave apresentou dados que considerou "alarmantes" de realidades no estrangeiro, partilhando, por exemplo, que 80 por cento dos jogadores da liga de futebol americano que se retiram ficam falidos nos primeiros três anos.

Ainda nos Estados Unidos da América, Tarantini apurou que 60 por cento dos basquetebolistas da NBA que se retiram ficam falidos em cinco anos e que, no principal campeonato inglês de futebol, acontece o mesmo a três em cada cinco jogadores que terminam a carreira.

Em Portugal não há dados concretos sobre o assunto, mas Tarantini pretende abraçar esse estudo, partindo já com uma convicção que considera "assustadora".

"Acredito que 90 por cento do jogadores que fazem uma carreira ao mais alto nível em Portugal não conseguem ter um 'pé-de-meia' vitalício", partilhou.

O capitão do Rio Ave lembrou o recente caso de Isaías, ex-jogador brasileiro que se notabilizou no Benfica, e que agora passa por um período de dificuldades financeiras, para alertar as novas gerações.

"É preciso que os mais novos não pensem que isto do futebol é um mar de rosas, porque nem todos vão chegar ao topo e mesmo aqueles que o conseguirem terão de ter muito equilíbrio para acautelar o seu futuro", considerou.

Tarantini espera agora arranjar parceiros que lhe permitam aprofundar este tipo de estudos e sobretudo o ajudem a divulgar ferramentas e estratégias para "evitar que os casos dramáticos sejam cada vez mais".

"Há muita gente que tem problemas em dar a cara e eu compreendo, mas é preciso que se saibam estes casos de insucesso, mas também casos em que o final da carreira foi bem acautelado, nomeadamente com uma via académica ou empresarial", vincou.

Várias personalidades do futebol e do desporto em geral marcaram presença na cerimónia de apresentação deste projeto, que hoje aconteceu em Vila do Conde, e desde logo mostraram vontade em dar o seu contribuído.

Entre estes estava o selecionador nacional de sub-21, Rui Jorge, que garantiu ter sabido desta realidade como jogador, e agora como treinador.

"É realidade assustadora, que todos devemos lutar, não só agindo individualmente, como também contribuindo para fazermos algo mais forte a abrangente como este projeto", disse o técnico.

Além de vários jogadores, estrutura técnica e diretiva do Rio Ave, marcaram ainda presença nesta cerimónia vários ex-jogadores, como os avançados João Tomás ou João Paulo, mas também José Azevedo, ex-ciclista, e o chefe da missão olímpica de Portugal, José Garcia.

Conteúdo publicado por Sportinforma