Belenenses 0-2 Benfica

23-10-2016 22:10

Na 'piscina' do Restelo ganhou quem teve Kostas largas

O Benfica reassume assim a liderança da I Liga com 22 pontos, mais três que o FC Porto e mais cinco que o Sporting. Com este triunfo, a equipa encarnada chegou as 16 vitórias consecutivas fora de casa na I Liga.
Belenenses-Benfica: Mitroglou festeja golo
Foto: Lusa

Belenenses-Benfica: Mitroglou festeja golo

Por Evandro Delgado sapodesporto@sapo.pt

O Benfica venceu o Belenenses por 2-0, em jogo da 8.ª jornada, e reassumiu a liderança da I Liga. Mitroglou e Grimaldo marcaram os golos da vitória ´encarnada`, a quinta seguida no Restelo para a I Liga. A equipa de Rui Vitória aproveita da melhor maneira o empate caseiro do Sporting e já leva cinco pontos de vantagem sobre os ´leões` e três sobre o FC Porto.

No Restelo, onde o Benfica vinha de quatro vitórias seguidas, Rui Vitória aplicou a máxima de que "em equipa que ganha não se mexe" e repetiu onze que venceu o Dinamo Kiev na 4.ª feira para a Liga dos Campeões. Já Quim Machado, técnico do Belenenses, manteve o jovem guarda-redes Joel Pereira na baliza. A defesa contou com Oriol Rosel a lateral direito, com João Diogo a jogar mais a frente. Yebda entrou para o meio-campo, neste seu reencontro com o Benfica.

Com um forte apoio dos seus adeptos, claramente em maioria, o Benfica fez um bom jogo e aproveitou as debilidades do Belenenses para vencer sem muita dificuldade. Joel Pereira foi dos melhores do lado do Restelo. Evitou o primeiro golo aos quatro minutos, num desvio de Mitroglou mas não teve capacidade para evitar o golo do grego aos dez minutos, numa cabeçada após canto de Pizzi. Era o sexto golo de Kostas Mitroglou ao Belenenses em três jogos.

O Belenenses raramente conseguiu incomodar Ederson. O guarda-redes do Benfica só mostrou serviço aos 22 minutos, num cabeceamento de Yebda. Do outro lado, o Benfica ia aproveitando as dificuldades do Belenenses para sair em ataques rápidos, quase sempre elos corredores. Grimaldo e Nelson Semedo foram um constante dor de cabeça para os defensores contrários, principalmente na direita onde Gerso não acompanhava sempre a subida do lateral direito do Benfica. Antes do intervalo, Mitroglou viu o poste negar-lhe o golo aos 37 minutos. Aos 22 tinha sido Domingos Duarte, com um corte providencial, a evitar que o ´tiro` de Cervi acabasse no fundo da baliza. O jogo estava a correr bem ao Benfica, os adeptos gostavam e apoiavam, apesar da forte chuva que caiu durante o encontro.

Depois do intervalo, Quim Machado teve de mexer, lançado Sturgeon, Miguel Rosa e Tiago Caeiro, jogadores de cariz ofensiva, para os lugares de Yebda, Camara e Oriel Rossl. Mas era o Benfica quem estava melhor. As movimentações de Cervi e Salvio, a cairem muitas vezes no corredor central, baralhavam as marcações e deixavam a defesa dos de Belém em apuros. Joel Pereira evitou os golos de Salvio aos 56 e Mitroglou aos 59, mas nada pode fazer aos 65. Grimaldo apareceu solto na área e disparou de pé esquerdo, com o guarda-redes do Belenenses ainda a tocar na bola mas insuficiente para evitar o golo.

Os comandados de Quim Machado nunca desistiram, na busca de um golo que os pudesse relançar na partida. Mas os homens da frente tentavam sempre resolver sozinhos o que devia ser tarefa da equipa. A grande oportunidade para reduzir surgiu numa bola que Ederson largou para a frente aos 68 mas nem Stugeon nem Camará tiveram arte e engenho para colocar a bola no fundo da baliza. Alguns remates de longe também iam sendo resolvidos por Ederson, com mais ou menos dificuldade. A resposta ´encarnada` só não foi melhor porque o remate de Cervi, aos 70 minutos, foi devolvido pela barra. Ainda chegou-se a gritar golo mas a bola não entrou.

Até ao final, já com Jiménez, André Almeida e Danilo em campo, nos lugares de Grimaldo, Cervi e Mitroglou, o Benfica só teve de gerir o resultado, perante um Belenenses que bem tentava o golo de honra mas sem sucesso.

O Benfica reassume assim a liderança da I Liga com 22 pontos, mais três que o FC Porto e mais cinco que o Sporting. Com este triunfo, a equipa encarnada chegou as 16 vitórias consecutivas fora de casa na I Liga, batendo desta forma o recorde conseguido pelo técnico Jimmy Hagan, que alcançou feito semelhante entre abril de 1972 e fevereiro de 1973.

Conteúdo publicado por Sportinforma