Primeira Liga

28-11-2016 10:02

FC Porto passou de um mês quase perfeito para uma espiral negra

A equipa dos 'dragões' não vence há quatro jogos e só marcou um golo em 22 dias.
Nuno Espírito Santo, treinador do FC Porto

Nuno Espírito Santo, treinador do FC Porto

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

No mês passado, o FC Porto esteve à beira de fazer o mês perfeito só com vitórias alcançadas. Faltou, no último jogo de outubro, uma vitória frente ao Vitória de Setúbal para que a equipa de Nuno Espírito Santo conseguisse tal feito (empate 0-0 no Bonfim). A partir do jogo com os ‘sadinos’, os ‘dragões caíram numa espiral de maus resultados que culminou, com a vitória de ontem do Benfica, numa situação em que estão a sete pontos da liderança do campeonato.

Fazendo as contas, o FC Porto não vence um jogo há quatro encontros. O último triunfo ocorreu frente ao Brugge (1-0) na quarta jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Desde então, os ‘dragões’ empataram frente Benfica (1-1), Copenhaga (0-0), Belenenses (0-0) e foram eliminados da Taça de Portugal pelo Desportivo de Chaves nas grandes penalidades depois de 12 minutos sem golos. Em termos de faturação, um dos tópicos que mais se insiste na equipa dos ‘dragões, a contabilização também não ajuda: nos últimos três encontros, a equipa de Nuno Espírito Santo ficou sempre em branco.

Apesar de ter disposto de várias oportunidades nos jogos que disputou, o FC Porto não conseguiu fazer balançar as redes, o último tento festejado foi da autoria de Diogo Jota frente ao Benfica no clássico no Estádio do Dragão a 6 de novembro. Desde então, foram 22 dias sem marcar um único golo.

Os maus resultados têm vindo a acumular-se, mas nem tudo é mau no reino do ‘dragão’. Sob o comando de Nuno Espírito Santo, o FC Porto conseguiu fechar os caminhos para a baliza. Nos últimos 10 jogos, a equipa dos ‘dragões só sofreram dois golos. Benfica e Brugge foram os únicos a ultrapassar os centrais Marcano e Felipe e a bater Casillas entre os postes.

A falta de eficácia e de resultados positivos colocou Nuno Espírito Santo numa posição desconfortável. Eliminado da Taça de Portugal pelo Chaves, segue com sete pontos de atraso do líder do campeonato enquanto na Liga dos Campeões vai decidir o apuramento na última jornada da fase de grupos frente ao campeão de Inglaterra e líder do grupo, Leicester City.


Corrida histórica à procura de um feito histórico

Analisando os números de Nuno Espírito Santo, o seu arranque na primeira temporada como treinador do FC Porto tem sido composto por altos e baixos. Depois de uma fase de inconsistência tática e rotação de jogadores todas as semanas, os ‘dragões’ entraram no eixo e tiveram perto de um mês perfeito só de vitória. Agora, está numa fase má que os coloca em situações precárias.

Com ou sem maus resultados, o treinador do FC Porto não baixa os braços e garante que se mantem na corrida pelo título principal que é o campeonato. No entanto, para o conseguir, Nuno Espírito Santo necessita de chegar a um feito histórico na sua carreira e no FC Porto desde que a vitória passou a valer três pontos até porque os ‘dragões’ nunca foram campeões com esta pontuação à 11ª jornada (22 pontos) e com sete ou mais pontos de atraso do líder. Das duas vezes que se verificaram registos semelhantes, a equipa terminou em segundo (2001/2002) e terceiro lugar (2004/2005).

Depois de mais um empate frente ao Belenenses, o FC Porto perdeu o comboio da perseguição Benfica na frente do Campeonato. Os ‘azuis e brancos’ empataram a zero no clássico azul e aumentaram para sete os pontos de atraso face ao primeiro lugar.

Conteúdo publicado por Sportinforma