FC Porto

30-11-2016 11:31

Nuno pior do que Lopetegui e Fonseca. O que fazer para salvar o Dragão?

Registo negativo e descendente no FC Porto começa a preocupar os adeptos. Os Dragões estão há três anos sem conseguir conquistar um título.
Nuno Espírito Santo, treinador do FC Porto
Foto: © 2016 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Nuno Espírito Santo, treinador do FC Porto

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

No final do encontro entre o FC Porto e o Belenenses, para a Taça da Liga de futebol, que terminou empatado 0-0, ouviram-se assobios e viram-se lenços brancos com sinal de descontentamento pelos maus resultados dos 'dragões'.

Este é o quinto jogo consecutivo sem vencer do FC Porto, o quarto sem marcar qualquer golo. A insatisfação dos adeptos portistas já foi evidente no final do último jogo, para o campeonato, também com o Belenenses, e intensificou-se agora em casa com a soma de mais um empate.

O treinador do FC Porto, Nuno Espírito Santo, saiu para os balneários mal se ouviu o apito final.

No próximo sábado, o FC Porto terá uma 'prova de fogo', ao receber no Estádio do Dragão o Sporting de Braga. Os minhotos estão na terceira posição com 23 pontos, mais um do que os 'dragões', quartos.

Olhemos então para onde estava o FC Porto, na época passada, à entrada para a 12.ª jornada. Julen Lopetegui, demitido em janeiro, contava com 27 pontos, oito vitórias, três empates e sem derrotas, ocupando a segunda posição, atrás do Sporting.

Já Nuno Espírito Santo, depois de ter sido eliminado da Taça de Portugal e ter entrado a empatar na Taça da Liga, soma 22 pontos, fruto das seis vitórias, quatro empates e uma derrota, estando agora no quarto lugar e tendo Benfica, Sporting e Braga na frente. E o Vitória de Guimarães está a dois pontos. Contudo, ao contrário de Lopetegui, Espírito Santo mantém a esperança der seguir em frente na Champions.

Se recuarmos para a era de Paulo Fonseca, em 2013, verificamos que, apesar de muita contestação, os Dragões tinham 24 pontos, estando apenas a dois da dupla da frente, constituída por Benfica e Sporting. Atualmente, a equipa de Espírito Santo está a sete do tricampeão Benfica.

Além da crise pontual, outro fator que esta a incomodar os adeptos é a escassez de golos. Para se encontrar um Dragão com poder de fogo tão fraco é preciso recuar até 1988/1989. Na altura, o FC Porto, treinado por Quinito, esteve também quatro jogos sem marcar. Ou seja, na história do clube, esta é a segunda vez que a equipa fica quatro jogos sem marcar qualquer golo.

Existem muitas questões para resolver no Dragão e dúvidas que precisam de ser dissipadas: o porquê de Brahimi, jogador com maior poder de desequilíbrio, não jogar com regularidade; o que fazer a avançados como Depoitre, Adrian e Varela?; André Silva, Diogo Jota e Otávio não serão novos demais para tamanha responsabilidade? Castigar jogadores como Herrera por erros será a melhor opção? Questões para a direção do FC Porto…

Conteúdo publicado por Sportinforma