Primeira Liga

16-03-2017 09:50

Vieira e Jesus voltaram a sentar-se à mesa

Encontro casual em Lisboa ditou reencontro entre o presidente do Benfica e o antigo treinador das ‘águias’ pela primeira vez desde que Jesus se mudou para o Sporting.
Vieira e Jesus
Foto: MANUEL DE ALMEIDA; EPA

Luís Filipe Vieira e Jorge Jesus coincidiram durante seis anos no Benfica

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Pelo que se sabe, é a primeira vez que tal encontro se proporciona desde o verão de 2015, onde o então técnico do Benfica decidiu rumar a Alvalade, para representar o Sporting. Luis Filipe Vieira e Jorge Jesus voltaram a sentar-se à mesma mesa, ao encontrarem-se casualmente num dos hotéis de Lisboa.

Segundo avança o jornal A Bola, o encontro ocorreu na quinta-feira da semana passada, na ona do bar do hotel. Não se sabe qual foi o tema de conversação mas segundo indicam algumas testemunhas, foi o presidente do Benfica a convidar o treinador do Sporting a sentar-se. Acabaram por não estar muito tempo juntos mas foi o suficiente para alguém notar o encontro.

Recorde-se que este encontro aconteceu pouco tempo depois de Luís Filipe Vieira ter dado uma entrevista ao canal CMTV, onde elogiou Jorge Jesus. “O Jorge foi um homem que eu fui buscar, foi meu treinador durante seis anos. Costumo dizer que foi o meu companheiro, foi um homem que ganhou e perdeu. Ninguém o vai apagar da história do Benfica”, recordou o líder dos ‘encarnados’.

A história das costas voltadas de Jesus e Vieira começou no verão de 2015, mais concretamente no mês de junho. Desde esse último encontro, onde pouco depois se tornou público que o treinador bicampeão iria seguir para o Sportin, não mais os dois homens fortes do futebol português terão estado juntos.

A crispação entre os dois clubes terá sido agravada depois das ‘águias’ terem interoposto uma ação judicial contra o antigo treinador, chegando a exigir uma indemnização na ordem dos 14 milhões de euros.

Apesar de Vieira atribuir este processo apenas à estrutura profissional do clube e departamento jurídico, a verdade é que Jorge Jesus pode considerar que bastava uma palavra do presidente do Benfica para que o processo ficasse encerrado.

Conteúdo publicado por Sportinforma