Clássico

30-03-2017 19:56

Benfica tem a liderança em risco por causa do... Ano Novo

O grande jogo da 27.ª jornada chega em momentos diferentes para as duas equipas, com o Benfica líder, mas em quebra, e o FC Porto após a sua melhor série.
Rui Vitória dá indicações durante o jogo com o Paços de Ferreira ao lado de Eliseu
Foto: Francisco Leong

Rui Vitória dá indicações durante o jogo com o Paços de Ferreira ao lado de Eliseu

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O Benfica chega ao clássico com o FC Porto na condição de líder da I Liga de futebol, isolado desde a quinta jornada, mas com margem de conforto encurtada para um ponto face a transição de ano difícil.

Até início de dezembro, o Benfica seguiu quase imparável nos seus objetivos de conquistar um inédito ‘tetra’, apenas com dois empates, em casa com o Vitória de Setúbal (1-1) e fora com o FC Porto (1-1), numa fase em que chegou a ter sete pontos de vantagem sobre os ‘dragões’ (11.ª ronda).

O período menos bom do rival FC Porto, com desperdício de 11 pontos até final de novembro, contrastava com a ‘pujança’ dos ‘encarnados’, apenas com quatro pontos perdidos, dois dos quais a saberem a vitória, com um empate no Dragão.

O bom ciclo da equipa de Rui Vitória – numa época de muitas lesões de jogadores cruciais (Grimaldo, Fejsa, Jonas, e mesmo Ederson, Eliseu, Mitroglou ou Jardel), teve o primeiro grande revés a 02 de dezembro, com a derrota nos Barreiros, diante do Marítimo (2-1).

O Benfica entrou, assim, na reta final do ano com a primeira derrota no campeonato, para, em janeiro, perder mais cinco pontos (empate caseiro com o Boavista e derrota em Setúbal).

Na perda de pontos com o Boavista, a equipa ficou a queixar-se de uma má arbitragem, num jogo polémico, em que os ‘axadrezados’ chegaram ao intervalo a vencer por 3-0, com todos os golos de duvidosa legalidade.

O arranque de 2017 foi mau para o Benfica, que, duas jornadas depois, voltou a escorregar, desta feita ao perder na visita ao Vitória de Setúbal (1-0) – que já empatara na Luz -, na mesma semana em que foi eliminado nas meias-finais da Taça da Liga, pelo Moreirense.

Uma quebra de rendimento das ‘águias’ que encurtou substancialmente a vantagem que chegou a ter, de sete para apenas um ponto, e deixou a equipa ‘sob brasas’, apesar de ainda ter acumulado seis triunfos consecutivos entre janeiro e março.

Foi, aliás, a segunda melhor série de vitória na I Liga - a primeira foi entre a terceira e nona jornadas, de final de agosto a final de outubro, até voltar a ‘tremer’ no jogo que antecedeu o clássico de sábado.

Na última jornada o Benfica, com um desempenho sofrível, não conseguiu mais do que um ‘nulo’ em Paços de Ferreira, deixando a liderança do campeonato à mercê do FC Porto, que os ‘dragões’ também desperdiçaram, empatando em casa.

O grande jogo da 27.ª jornada chega em momentos diferentes para as duas equipas, com o Benfica líder, mas em quebra, e o FC Porto após a sua melhor série, mas travado no jogo que o poderia ter colocado na frente.

O menor rendimento das ‘águias’ levou a que também perdessem o estatuto de melhor ataque da competição, agora nas ‘mãos’ dos ‘dragões’ (58 golos marcados), também com a defesa menos batida (12), contra os 56/13 do Benfica.

Com a luta pelo título ‘acesa’, o Benfica tem ainda, ao contrário do seu rival, o ‘bónus’ de ter mais uma competição pela qual lutar, a Taça de Portugal, num momento em que disputa as meias-finais da competição.

No jogo da primeira mão, no Estoril, a equipa ‘encarnada’ venceu por 2-1 e tem a segunda mão agendada para 05 de abril, na Luz, quatro dias depois do clássico com o FC Porto.

Numa época que teve início com a conquista da Supertaça, com um triunfo por 3-0 frente ao Sporting de Braga, os ‘encarnados’ acabaram eliminados nas meias-finais da Taça da Liga, e, tal como o FC Porto, nos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Conteúdo publicado por Sportinforma