Futebol

31-03-2017 07:00

João Pinheiro coloca lugar na comissão arbitral da Liga à disposição

Elemento da Comissão Arbitral colocou o lugar à disposição por causa de críticas à sua página pessoal na rede social Facebook.
João Pinheiro ao lado de Pedro Proença na cerimónia da tomada de posse da Comissão Arbitral
Foto: D.R.

João Pinheiro ao lado de Pedro Proença na cerimónia da tomada de posse da Comissão Arbitral

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O advogado indicado pelo Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) para a renovada Comissão Arbitral (CA) da Liga colocou ontem o lugar à disposição, após críticas à sua idoneidade.

“Porque acima de tudo entendo que deve ser preservada a imagem de qualquer órgão de que faça parte, apresento ao SJPF e à Liga de clubes imediata disponibilidade para renunciar ao cargo que assumi, caso qualquer uma das instituições considere que a controvérsia gerada com a minha designação e tomada de posse afete o funcionamento da CA”, justificou João Pinheiro, em comunicado divulgado pelo SJPF.

Em causa, as reações contrárias à sua tomada de posse como ‘árbitro’ da CA, relacionadas com comentários que João Pinheiro, assumido sócio do Benfica, desde 1979, produziu na sua página pessoal do facebook, em momento anterior ao início de funções.

“Os comentários produzidos não se enquadram em qualquer contexto de exercício profissional, ou deontológico, consistem em trocas de opiniões entre amigos, num tom invariavelmente lúdico. À data em que foram produzidos não me vinculava qualquer dever funcional, ou outro, relacionado com o fenómeno desportivo”, esclarece.

O advogado defende que ser sócio do Benfica é “parte integrante da (sua) liberdade inerente à dignidade humana” e recorda que os comentários sob escrutínio “não refletem qualquer preconceito profissional relativamente a qualquer instituição desportiva, ou respetivos agentes”.

Além de uma foto equipado à Benfica em jogo no Estádio da Luz, num perfil do facebook em que a foto de capa é uma imagem de Eusébio em desafio com o Sporting, também fez alguns comentários em que o visado foi Bruno de Carvalho e o clube 'leonino'.

“Naturalmente, a tomada de posse como membro da CA envolve uma moderação na pronúncia sobre temas desportivos que já tinha interiorizado e posto em prática”, acrescenta.

O advogado assume o “efeito mediático que envolve o futebol e o tratamento público que é conferido a todos os seus conteúdos”, mas garante não se sentir “condicionado ou limitado no exercício das funções” assumidas na CA.

“Considero-me habilitado a realizar um trabalho imparcial, fundamentado e de boa fé perante qualquer assunto que me seja submetido para apreciação”, conclui.

Além do seu presidente, Ricardo Nascimento, advogado especialista em Direito do Trabalho, a CA é constituída por Lúcio Correia e João Pinheiro, advogados ligados ao Direito Desportivo e do Trabalho, membros desta instituição de arbitragem voluntária nomeados pela Liga e SJPF, respetivamente.

Conteúdo publicado por Sportinforma