Benfica-FC Porto

01-04-2017 10:45

Arriscar ou esperar? 4-3-3 ou 4-4-2? As projeções de Rui Águas para o Clássico

O Benfica-FC Porto, da 27.ª jornada da I Liga, está marcado para as 20h30 de sábado.
FC Porto - Benfica
Foto: AFP

FC Porto - Benfica

Por Evandro Delgado sapodesporto@sapo.pt

O FC Porto está em 2.º lugar mas é o Benfica quem deverá arriscar mais no ´Clássico`. Essa é a opinião de Rui Águas, antigo jogador de ´águias` e ´dragões`. Em entrevista ao SAPO Desporto, o técnico defendeu que o Benfica deve tirar partido do fator casa e consolidar a liderança da I Liga. Para isso, terá de tomar a iniciativa do jogo e procurar o golo, já que uma vitória deixará a equipa ´encarnada` com quatro pontos de vantagem sobre o rival do Norte.

"O Benfica, jogando em casa e tendo a possibilidade de consolidar a sua posição, deverá arriscar mais, justifica-se essa aposta. Para o FC Porto, acho mais pacífico que haja essa cautela a mais, essa gestão, porque mesmo estando atrás, é só por um ponto e o o Benfica ainda tem um duelo com o Sporting, que nunca se pode prever, dada a dificuldade destes tipos de jogos", disse Rui Águas, antevendo "um jogo controlado, tático, com alguma ambição a mais por parte do Benfica".

Mexer no ´miolo` para ganhar

O antigo avançado espera mesmo mudanças no ataque dos ´dragões`, numa postura mais cautelosa da equipa de Nuno: "Do FC Porto até espero a troca dois avançados para um só, parece-me mais viável", frisou.

Mas as mudanças podem não ficar por aqui. Os comentadores de futebol têm falado muito do meio-campo do Benfica e das dificuldades que os ´encarnados` sentem quando defrontam equipas com outros pergaminhos. Para um jogo desta natureza, Rui Vitória tem duas opções: ou mantém o esquema tático e não mexe na equipa ou, adapta-se ao adversário, com mais um jogador na zona central, de forma a estancar o jogo do FC Porto. São duas hipóteses viáveis que dependem daquilo que será a estratégia adotar, defende Rui Águas.

"Essa opção [de jogar em 4-3-3] depende da disponibilidade de Fejsa mas por outro lado há Jonas. Tem tido uma época irregular mas toda a gente sabe-se da importância e do talento que possui. Não jogando Jonas sozinho no ataque, teríamos de contar sempre com dois homens no ataque. É um dilema: por um lado, jogar com dois avançados, sendo um deles um homem como o Jonas e por outro, em termos de meio-campo, a equipa poder ressentir-se. Isso faz parte do trabalho do treinador, de poder escolher o que poderá resultar melhor, com risco, esperando que as coisas resultem", comentou o técnico, que espera estas mudanças mais do lado da equipa de Nuno Espírito Santo.

"Acho que é provável [ter três homens no meio-campo] porque o FC Porto tem em Óliver um homem importante mas com dois homens no meio-campo é um bocado como Pizzi: fica demasiado fragilizado e joga fora. Os dados podem não ser matemáticos mas é algo que ainda contam, de alguma maneira", lembrou.

Rui Águas espera muitas cautelas e... poucos golos

Sobre a postura das duas equipas, Rui Águas recordou que este é um jogo que poderá decidir muito do que será o título, pelo que é importante não perder.

"Vão ser equipas com cautelas, mas com ambição, equipa mais equilibradas. Não basta atacar bem, é preciso ter uma equipa sólida. E estas duas, cada uma a sua maneira, são muito equilibradas e é por isso que estão na luta pelo primeiro lugar", salientou.

Num jogo desta natureza, com tantos nervos à flor da pele, poderá haver mais o receio de perder do que ânsia de ganhar. A Liga caminha para o fim e qualquer deslize poderá ser fatal nas contas finais. A pressão de não perder pode levar a que seja um jogo pobre, pouco espetacular... ou então rico em golos. Rui Águas acredita que será mais a primeira opção.

"Não me parece que venha a ser um jogo de 3-3 ou 4-3, estou mais inclinado para um jogo de 1-0. São equipas que respeitam o adversário, sabem da importância que tem este jogo na época inteira, vivem muito o que vai passando fora e não ajuda a serenar os ânimos e tudo o que seja um golo acontece ser decisivo. E nestes jogos, mais ainda. Nestes jogos qualquer acontecimento importante - e um golo é um acontecimento importante - pode fazer pender o prato para quem o fizer primeiro. Não sofrer, é importantíssimo. Não sofrendo, ficam mais próximos de ganhar", lembrou.

O Benfica-FC Porto, da 27.ª jornada da I Liga, está marcado para às 20h30 de sábado. Os ´encarnados` lideram a prova com 64 pontos, mais um que o FC Porto.

Conteúdo publicado por Sportinforma