Fernando Madureira

09-04-2017 20:05

"Isto é tudo para atacar os Super Dragões e o FC Porto"

Fernando Madureira comentou a polémica que tem rodeado o Canelas esta esta época.
Fernando Madureira, capitão do Canelas 2010

Fernando Madureira, capitão do Canelas 2010

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Fernando Madureira comentou a polémica que tem rodeado o Canelas esta esta época. O capitão da equipa de Vila Nova de Gaia disse, no final da derrota da sua equipa diante do Maia por 3-1, que tudo o que tem acontecido ao clube tem por objetivo prejudicar o FC Porto e os Super Dragões, claque de que é líder.

"Isto é tudo para atacar os Super Dragões e o FC Porto", atirou.

A semana ficou marcada pela agressão do jogador Marco Gonçalves, do Canelas, a um árbitro, num jogo frente ao Rio Tinto. A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) decretou boicote aos jogos do Canelas, mas o árbitro Rui Oliveira desrespeitou essa decisão e apareceu para apitar. O jogo decorreu sem incidentes, mas sob fortes medidas de segurança. No final, ´Macaco`, como é conhecido Fernando Madureira, foi dar os parabéns ao juiz do encontro "pela coragem".

"Quando os capitães subiram ao relvado, quis dar os parabéns ao árbitro pela coragem que teve porque não era fácil depois do que se passou e do boicote da APAF. Dei-lhe os parabéns pela coragem e carácter. Críticas da APAF pelo árbitro ter furado o boicote? Percebo a atitude da APAF, não percebo a do árbitro. Mas o futebol é assim, as pessoas têm a sua opinião e ambas são normais", disse Madureira, em conferência de imprensa.

Sobre o incidente da semana passada que correu mundo, Madureira disse esperar que tal possa levar as autoridades a produzirem novas leis medidas de segurança.

"Espero que sirva para que sejam feitas novas leis e medidas para que haja policiamento, passando então essas tais 43 agressões que já se verificaram para o menor número possível", comentou.

A decisão de Rui Oliveira em apitar o jogo foi muito criticada por Luciano Gonçalves, presidente da APAF.

"É inadmissível o que aconteceu. Esse senhor é tudo menos árbitro e só está à procura de protagonismo. Não faz sentido que tenha furado um boicote que foi feito para lutar pela segurança da classe", disse o dirigente à agência Lusa.

Conteúdo publicado por Sportinforma