Primeira Liga

26-04-2017 23:40

Carlos Barbosa quer um "Paços de Ferreira europeu"

Carlos Barbosa prometeu hoje recuperar o projeto europeu do Paços de Ferreira, no caso de vir a ser eleito presidente do clube da I Liga de futebol
Paços

Paços

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Carlos Barbosa prometeu hoje recuperar o projeto europeu do Paços de Ferreira, no caso de vir a ser eleito presidente do clube da I Liga de futebol, em eleições a realizar brevemente.

Sob o lema "Por um Paços à Paços", Carlos Barbosa justificou a sua candidatura com "a grande paixão pelo clube" e a vontade de dar continuidade ao projeto europeu que disse ter iniciado durante a sua presidência, concluída por motivos de saúde em maio de 2014, então substituído por Paulo Meneses, agora seu adversário nas eleições.

"Saí há três anos devido a cansaço e a alguns problemas de saúde, mas sinto-me hoje capaz de poder contribuir e recuperar o projeto europeu que havia quando saí. Havia na altura uma estrutura forte para um crescimento forte, mas hoje não vejo isso e quero recuperar esse projeto, com o grande objetivo de fazer do Paços [um clube] europeu", disse Carlos Barbosa.

Num curto vídeo exibido no lotado auditório da Biblioteca Municipal da cidade, Carlos Barbosa recuperou os quatro anos do seu mandato, associados ao terceiro lugar conseguido pelo Paços na I Liga, em 2012/13, ou a presença na final da Taça da Liga, em 2010/11 (derrota com o Benfica por 2-1), para dizer, depois, ainda embalado pelo som da Liga dos Campeões, que tem "um projeto novo" para o clube.

"Assumo o objetivo de um Paços europeu, mas também quero remodelar e muito o departamento de observação e recrutamento, pois, em dois anos, tivemos 14 jogadores emprestados e não faz sentido que o plantel seja feito em função de jogadores cedidos por outros clubes", sublinhou, estranhando também a pausa nas obras no estádio, que diz terem custado "300 mil euros" até ao momento em receitas de camarotes.

No plano de compromisso para com os sócios do Paços, Barbosa frisou que, sem uma boa formação e uma cuidada política de recrutamento, "o Paços, que vive de receitas extras, nunca será sustentável".

Opositor firme da constituição de uma sociedade anónima desportiva (SAD) no Paços, anúncio que arrancou aplausos no auditório, Barbosa insistiu na importância do crescimento sustentado e elencou, para o efeito, vários projetos.

"Tenho a promessa e o projeto garantido e aprovado de umas bombas de combustível, assim como de um restaurante de comida rápida para os terrenos próximos da bancada nova, em que haverá descontos para os sócios e rendas enormes para o clube", anunciou.

Carlos Barbosa, que conta com Hernâni Silva, outro ex-presidente, para a Assembleia Geral, Bruno Santos para o Conselho Fiscal e tem em Cadú, ainda jogador do Leixões da II Liga, o mandatário da candidatura, assumiu ainda querer remodelar o centro de estágio abandonado no centro da cidade, que poderá ser partilhado pela formação, a quem garantiu melhores condições.

O candidato à presidência do Paços prometeu criar uma equipa B e confirmou o estabelecimento de um protocolo com o Leões da Seroa, um clube do concelho, para utilização das instalações pelos escalões mais jovens, a melhorar com a construção de um campo relvado e de outro sintético.

Carlos Barbosa vai enfrentar nas urnas o seu antigo presidente adjunto e atual presidente Paulo Meneses, que também já oficializou a sua candidatura, num ato eleitoral a definir quinta-feira em Assembleia geral e que, pela primeira vez na história do clube, será disputado por dois candidatos.

Conteúdo publicado por Sportinforma