Apostas

04-05-2017 15:58

Placard aumenta receitas da Santa Casa e já é o 3.º jogo mais vendido

Em 2016 a venda de jogos conseguiu mais 534,9 milhões de euros do que em 2015.
Placard, apostas desportivas
Foto: Facebook Placard

Placard, apostas desportivas

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A venda de jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa rendeu em 2016 um total de 2.775,2 milhões de euros, mais 23,9% do que no ano anterior, à custa das raspadinhas e do Placard.

De acordo com o relatório e contas de 2016 do Departamento de Jogos da Santa Casa, apresentado hoje, em 2016 a venda de jogos conseguiu mais 534,9 milhões de euros do que em 2015.

O relatório aponta ainda que 97% (2.690,6 milhões de euros) do total de receitas com os jogos foram devolvidos à sociedade, através do pagamento de prémios de jogo, imposto de selo para o Estado, resultados distribuídos pelos beneficiários, promoção do desporto, patrocínios e investimento na promoção da legalidade e do jogo responsável.

Em 2016, o número de registo de apostas ascendeu a 1.128 milhões, superando em 24,1% o número de registos observado no ano anterior, e foram atribuídos prémios num total de 1.668,0 milhões de euros, mais 372,4 milhões de euros do que em 2015.

A raspadinha, com um volume de vendas de 1.359,1 milhões de euros, mais 23,4% do que em 2015, manteve-se como o jogo mais vendido.

O novo jogo de apostas Placard, que funcionou em 2016 pelo primeiro ano completo, aumentou as vendas em 489,3% em relação a 2015 e assumiu-se como o terceiro jogo mais vendido, com um peso de 13,4% no conjunto de vendas.

Todos os outros jogos Santa Casa registaram em 2016 uma variação negativa no volume de vendas em relação a 2015, com destaque para o Totobola, que arrecadou em 2016 uma receita inferior a 18,6% em relação ao ano anterior.

De acordo com o relatório e contas de 2016 da Santa Casa, que hoje foi também apresentado, a instituição apresentou resultados líquidos de 21,1 milhões de euros, o que representa um aumento de 15,3 milhões face ao ano anterior e resultados "superiores em 30 milhões de euros face ao previsto em orçamento".

De acordo com a instituição, estes resultados decorrem de um controlo eficaz da despesa, nomeadamente em compras, fornecimentos e serviços externos, e de uma variação positiva da distribuição dos resultados dos Jogos Sociais.

Conteúdo publicado por Sportinforma