Marítimo 1-1 FC Porto

06-05-2017 22:23

Dragão ´queima` o título no Caldeirão dos Barreiros

Se o Benfica vencer o Rio Aves este domingo, passa a ter cinco pontos de vantagem sobre o FC Porto e pode fazer a festa do tetra na Luz quando receber o Vitória de Guimarães.
Marítimo - FC Porto
Foto: Lusa

Marítimo - FC Porto

Por Evandro Delgado sapodesporto@sapo.pt

O FC Porto pode ter dito adeus ao título. Os ´dragões` empataram na Madeira com o Marítimo a uma bola e podem ficar a cinco pontos do Benfica, que recebe o Rio Ave este domingo. Numa casa onde os azuis-e-brancos não ganham desde 2012, os golos do jogo foram marcados por Otávio para os portistas e Djoussé para os madeirenses.

Num campo complicado onde não ganha desde 2012, o FC Porto sabia que não podia perder pontos, na esperança de ainda poder chegar ao título. Os ´dragões` entraram em campo sabendo que uma vitória podia coloca-los na liderança da Liga, ficando à espera do resultado do Benfica este domingo na difícil deslocação ao terreno do Rio Ave.

Para esta deslocação à Madeira, Nuno Espírito Santo fez várias alterações no onze, em função de castigos e lesões. Com Maxi castigado, o técnico dos azuis-e-brancos nem convocou Layún e optou por chamar o jovem Fernando Fonseca que entrou diretamente para o onze da equipa pela primeira vez. Herrera também foi titular, tal como Brahimi que voltou ao seu posto habitual depois de cumprir dois jogos de castigo.

O Marítimo entrou em campo com cinco defesas, num esquema tático que retirava espaço ao FC Porto e pedia mais calma à equipa de Nuno na construção. O primeiro lance de perigo aconteceu na área do FC Porto, num lance entre Keita e Felipe. O maritimista caiu, os madeirenses pediram penálti, Jorge Sousa mandou seguir.

Aos poucos a equipa do FC Porto foi crescendo no jogo, encontrando novas formas de furar a muralha defensiva madeirense. André André teve nos pés o 1-0 aos 11, mas atirou por cima. Aos 23 o guarda-redes Charles foi obrigado a sair aos pés de Soares para evitar o golo. Mas Charles nada pode fazer aos 28 minutos, quando Otávio fez o 1-0. O brasileiro aproveitou um corte mal feito de Zainadine para rematar para golo, após boa jogada na direita entre Herrera e Fernando Fonseca.

Até ao final do primeiro tempo é o FC Porto a ter uma boa oportunidade para o 2-0, mas Charles negou o bis de Otávio. Por esta altura já o Marítimo tinha desfeito o sistema de cinco defesas já que Luís Martins lesionou-se, entrando o avançado Brito para o seu lugar.

No segundo tempo os ´dragões` continuaram na procura do 2-0 que esteve nos pés de Soares aos 61 minutos, mas o remate do avançado é cortado em cima da linha por Raúl Silva que fez de guarda-redes. Mas por esta altura já o Marítimo estava melhor no jogo, a chegar mais perto da baliza de Casillas, ameaçando o golo que se adivinhava.

E o golo do empate saiu de um canto da esquerda, aos 69 minutos, que Djoussé, acabadinho de entrar, deu o melhor seguimento. O avançado africano tinha entrado aos 66.

Este resultado não interessa ao FC Porto, pelo que Nuno teve de apostar tudo no ataque, retirando Otávio, Rúben Neves e Fernando Fonseca e lançando Corona, André Silva e Rui Pedro, ficando a equipa a jogar com três defesas, quatro médios e três pontas de lança.

Com o tempo a passar, o FC Porto ´carregou` sobre a área maritimista, na tentativa de chegar a nova vantagem, numa altura em que tudo era feito mais com o coração do que com cabeça. Cabeça foi o que faltou a André Silva aos 79 minutos, quando atirou para fora um bom centro de Corona.

Os derradeiros minutos foram de desespero e impotência dos comandados de Nuno. O FC Porto, que não ganha ao Marítimo na Madeira desde 2012, pode ter dito adeus ao título. Exibição pobre num momento em que se exigia mais da equipa para ainda sonhar com o título.

Se o Benfica vencer o Rio Aves este domingo, passa a ter cinco pontos de vantagem sobre o FC Porto e pode fazer a festa do tetra na Luz quando receber o Vitória de Guimarães.

Conteúdo publicado por Sportinforma