Rui Quinta

08-05-2017 17:49

"FC Porto tem desempenhos fantásticos e depois esconde-se"

Frente ao Marítimo, os ‘dragões’ somaram o 10.º empate desta edição da Liga, sendo que metade ocorreu nos últimos sete jogos (V. Setúbal, Benfica, SC Braga, Feirense e Marítimo).
Rui Pedro reage ao apito final após o empate entre FC Porto e Feirense a 0-0
Foto: Miguel Riopa

FC Porto está cada vez mais afastado do título

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Rui Quinta, antigo treinador adjunto do FC Porto, considera que os recentes empates dos 'dragões' no campeonato podem ser justificados pela "intranquilidade" e "ansiedade" que tem caracterizado a equipa de Nuno Espírito Santo.

Recorde-se que, com o Marítimo, os ‘dragões’ somaram o 10.º empate desta edição da Liga, sendo que metade ocorreu nos últimos sete jogos (V. Setúbal, Benfica, SC Braga, Feirense e Marítimo). No somatório de todas as provas, foi a 16.ª igualdade registada pelos ‘azuis e brancos’ em 47 partidas realizadas – os já referidos 10 para o campeonato, três em todo o percurso na Champions, um na Taça de Portugal e dois na Taça da Liga.

"A equipa tem desempenhos fantásticos em determinados momentos e depois esconde-se um pouco. Isso indicia alguma intranquilidade e até ansiedade. Foi isso que aconteceu nos dois jogos no Dragão, com o V. Setúbal e contra o Feirense. Nesses jogos, a equipa até criou oportunidades", analisou o antigo adjunto de Vítor Pereira, em delcarações ao jornal O Jogo.

Rui Quinta, contudo, considera que a juventude do plantel 'azul e branco' não teve influência nos resultados da equipa. Pelo contrário.

"A juventude é um sinal de vitalidade. Podem não ter experiência, mas têm ilusão e entusiasmo. Muitas vezes, nesta época, foram eles que deram um cunho diferente ao jogo e ajudaram a equipa a vencer", afirma.

Conteúdo publicado por Sportinforma