FC Porto

09-05-2017 09:53

Pinto da Costa nunca despediu um treinador no final da primeira época

Nuno Espírito Santo sob forte contestação por parte dos adeptos.
Nuno Espírito Santo
Foto: © 2016 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Nuno Espírito Santo

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Com a questão do título praticamente arrumada – embora ainda seja matematicamente possível – cresce a contestação em torno do FC Porto, que fica mais uma vez em ‘branco’ no que toca títulos, nomeadamente à volta de Nuno Espírito Santo.

De acordo com o jornal Record, o técnico está sob o escrutínio dos adeptos ‘azuis e brancos’, com muitos deles a não quererem a sua continuidade no clube, mas, para já, essa possibilidade não está a ser discutida pela SAD portista.

Desde que Pinto da Costa assumiu a presidência dos ‘dragões’ que o dirigente nunca bateu com a porta a um treinador no final da primeira época de contrato. Os únicos técnicos que abandonaram o projeto depois de completarem o primeiro ano no clube fizeram-no por vontade própria e depois de se sagrarem campeões.

Foi assim com Tomislav Ivic, em 1988, quando assinou pelo PSG, com Co Adriaanse, que abandonou o estágio de pré-época no verão de 2006, e André Villas-Boas, que rumou ao Chelsea em 2011.

A mesma publicação refere ainda o exemplo de Julen Lopetegui, treinador que não conquistou qualquer título na primeira época no FC Porto, mas que recebeu o voto de confiança de Pinto da Costa para avançar, com o espanhol a sair do Dragão a meio da temporada seguinte.

Neste sentido, só uma mudança radical da estratégia da SAD ‘azul e branca’ deverá colocar em causa a posição de Nuno Espírito Santo.

Conteúdo publicado por Sportinforma