Sporting

11-05-2017 09:44

Permanência de Jesus à espera de Bruno de Carvalho

Treinador do Sporting espera uma reunião com o presidente pare decidir qual o seu futuro.
Bruno de Carvalho e Jorge Jesus
Foto: DR

Bruno de Carvalho e Jorge Jesus devem reunir para decidir como vai ser a próxima época do Sporting

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Existia divergência mas tudo caminha para uma aproximação. Jorge Jesus espera reunir com Bruno de Carvalho e ver confirmados os sinais de aproximação que recebeu do líder do Sporting nas últimas horas.

Segundo avança o jornal A Bola, as declarações de Bruno de Carvalho, após a derrota com o Belenenses, apontou em várias direções, incluindo Jorge Jesus. Recorde-se que o presidente 'leonino' referiu que "foi um jogo deprimente para o Sporting", que tudo "tinha de ser diferente na próxima época" e que "ser do Sporting não é dar desculpas, é vencer! E quem não entender isso não pode estar no Sporting".

Estas palavras terão deixado Joge Jesus muito agastado e a ligação que tem com o dirigente do clube de Alvalade esteve perto de se quebrar.

Nos últimos dias, chegou-se a ponderar a saída do técnico português e que tudo iria depende da reunião agendada para preparar a nova temporada do Sporting.

No entanto, as últimas horas têm mostrado sinais de aproximação entre os dois homens fortes do conjunto 'leonino'. Bruno de Carvalho terá enviado sinais de reconciliação através de pessoas próximas da administração leonina como José Eduardo e José Maria Ricciardi.

Os dois dirigentes falaram com Jorge Jesus para garantir que Bruno de Carvalho tem total confiança no trabalho do treinador e é no técnico ex-Benfica que Bruno de Carvalho quer apostar para dar continuidade ao projeto delineado para o seu segundo mndato.

Resta agora esperar pela reunião dos próximos dias, onde Jesus espera ver a confirmação desses sinais de confiança. Caso isso aconteça, Jesus e o presidente do Sporting começarão a delinear a nova época, nomeademtne em termos de pré-temporada e reforços.

E Jesus poderá bater o pé no segundo ponto. Isto porque o técnico português vai ter menos poder nas contratações e vai ter de apostar mais na formação, algo que pode não agradar ao técnico português.

Conteúdo publicado por Sportinforma