Benfica

13-05-2017 20:27

Luisão, o gigante da Luz que ultrapassou Eusébio

O defesa central brasileiro fez história ao tornar-se no 'capitão' do inédito Tetracampeonato do Benfica.
Luisão disputa um lance com Soares durante o 'clássico' entre Benfica e FC Porto no Estádio da Luz.
Foto: Patrícia de Melo Moreira

Luisão disputa um lance com Soares durante o 'clássico' entre Benfica e FC Porto no Estádio da Luz.

Por Eduardo Santiago sapodesporto@sapo.pt

Uma das figuras incontornáveis na conquista do 'tetra' por parte do Benfica é Luisão. Com o triunfo sobre o Vitória de Guimarães, o gigante brasileiro de 36 anos alcançou o seu 18º título ao serviço dos 'encarnados' e superou o imortal Eusébio na contabilidade de troféus, para além de igualar o 'monstro sagrado' Coluna.

Capitão indiscutível nos quatro títulos consecutivos do emblema da Luz, Luisão começou a presente época a titular, e logo a conquistar o seu 17º título com a vitória na final da Supertaça Cândido Oliveira diante do SC Braga por 3-0. Em Aveiro, defesa central fez dupla com Lindelof, e continuou na equipa titular na primeira jornada do campeonato frente ao Tondela. No entanto, uma lesão aos 26 minutos de jogo obrigou Rui Vitória a uma substituição forçada e a perder Luisão durante um mês.

O 'capitão' só regressaria à equipa titular no início do mês de outubro, e na goleada do Benfica em casa frente ao Feirense para a 7ª jornada. No jogo seguinte, a contar para a Taça de Portugal, Luisão acabaria por ser decisivo na vitória sobre o 1º de Dezembro com um golo no último minuto de tempo extra.

Seguiram-se então quatro jogos do Benfica sem sofrer golos com destaque para dois triunfos na Liga dos Campeões sobre o Dínamo Kiev. No 'clássico' contra o FC Porto no Estádio do Dragão, o Benfica conseguiu garantir a liderança do campeonato com um golo de Lisandro López nos instantes finais, mas perderia Luisão mais uma vez no início do jogo devido a lesão.

No entanto, o 'capitão' acabaria por demonstrar que 'velhos são os trapos' e regressava à titularidade no jogo seguinte para fazer dupla com Lindelof na goleada sobre o Marítimo por 6-0 num jogo a contar para a Taça de Portugal.

O ritmo competitivo da época ia aumentando de dificuldade e após o empate com o Besiktas a 3-3 em Istambul para a Liga dos Campeões, seguiu-se uma derrota no Funchal com o Marítimo por 2-1. Antes da receção ao Sporting na 13ª jornada, Luisão foi titular na derrota do Benfica diante do Nápoles. As aspirações dos 'encarnados' na Liga dos Campeões ficou comprometida com a derrota caseira frente aos napolitanos, mas o triunfo por 2-1 sobre a conjunto leonino acabaria por inverter o ciclo negativo de resultados.

Com várias competições para disputar, Rui Vitória acabou por 'resguardar' Luisão e fazer uma gestão dos centrais do Benfica. Luisão foi poupado na vitória sobre o Real Massamá para a Taça de Portugal e na receção ao Vizela a contar para a Taça da Liga. No regresso ao campeonato, o central brasileiro seria titular na vitória do Benfica em Guimarães por 2-0 para logo depois ser poupado nesse mesmo estádio no jogo a contar para a Taça da Liga que os 'encarnados' acabariam por vencer também por 2-0.

No regresso à titularidade na jornada seguinte frente ao Boavista, Luisão acabou por ser substituído na segunda parte por Franco Cervi numa altura em que os 'axadrezados' venciam na Luz por 3-1. A formação de Rui Vitória acabaria por anular a vantagem boavisteira e impedir males maiores com a conquista de um ponto.

Quatro dias depois do empate a 3-3 com o Boavista, o Benfica eliminou o Leixões da Taça de Portugal com uma goleada por 6-2. Luisão não jogou nesse jogo, mas seria titular no regresso dos 'encarnados' ao campeonato com um triunfo sobre o Tondela por 4-0.

Apesar da liderança no campeonato e do apuramento para as meias-finais da Taça de Portugal, o Benfica acabaria por falhar a passagem à final da Taça da Liga com uma derrota frente ao Moreirense por 2-1 num jogo em que Luisão nem sequer foi opção de Rui Vitória.

Ainda com a eliminação da Taça da Liga presente, o Benfica regressava aos jogos do campeonato em Setúbal onde acabaria por averbar a segunda derrota na prova diante do Vitória FC. Luisão seria titular no Bonfim, assim como nos cinco jogos seguintes em que o Benfica sofreu apenas um golo. A assistência do 'gigante' brasileiro para o golo de Mitroglou diante do Borussia Dortmund foi determinante para o triunfo sobre os alemães e para a vantagem encarnada para o jogo da segunda mão.

Até ao jogo do título frente ao Vitória de Guimarães, Luisão apenas não participou no triunfo do Benfica sobre o Estoril-Praia no encontro da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, tendo alcançado a marca de 500 jogos ao serviço do emblema da Luz. (513 com Vitória Guimarães).

Totalista em 35 dos 38 jogos disputados esta temporada, o defesa central brasileiro de 36 anos mostrou a importância da experiência nos alicerces de uma equipa campeã.

Depois de 14 anos de 'águia ao peito' e de 18 títulos conquistados, Luisão ainda pode fazer história esta época caso o Benfica vença o Vitória de Guimarães na final da Taça de Portugal. Se o gigante brasileiro levantar a Taça de Portugal no Estádio do Jamor irá elevar para 19 o número de títulos conquistados ao serviço do Benfica, igualando Nené como o jogador com mais títulos conquistados pelo Benfica.

Conteúdo publicado por Sportinforma