Primeira Liga

18-05-2017 08:57

Benfica quer 40 milhões do Sporting pelo caso dos vouchers

'Encarnados' esperam a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) para processar os 'leões' por danos patrimoniais e reputacionais.
Luís Filipe Vieira
Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Clube liderado por Luís Filipe Vieira quer avançar com processo sobre o Sporting

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

É mais um episódio do caso dos vouchers. O Benfica vai avançar com um processo cível contra o Sporting, devido às declarações de Bruno de Carvalho, que insinuou que os 'encarnados' ofereciam prendas aos árbitros e delegados da Liga.

Segundo avança o Correio da Manhã, as 'águias' estão a avaliar o montante da indemnização que irão pedir aos 'leões', mas o valor aponta para os 40 milhões de euros.

No entanto, a interposição deste processo está dependente da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), que tem de decidir sobre o recurso que o Sporting apresentou em março, contra o acórdão desse mesmo tribunal, que absolveu o Benfica nesse caso.

"O Benfica está à espera desta última decisão do TaD para avançar com uma ação cível contra o Sporting, pedindo uma indemnização por danos patrimoniais e reputacionais causados ao clube", referiu uma fonte do Benfica à publicação.

Recorde-se que, em 2015, Bruno de Carvalho participou num programa de televisão, onde revelou que o Benfica oferecia jantares aos árbitros, insinuando que essas 'prendas' seriam uma forma de condicionar o trabalho das equipas de arbitragem nos jogos do clube da Luz.

No entanto, todas as queixas apresentadas pelo Sporting nos vários órgaõs nacionais e internacionais resultaram na absolvição dos 'encarnados'.

No acórdão publicado em março pelo TAD fica mesmo expresso que "não resulta minimamente provado nos autos nem é crível que as ditas ofertas e presentes [do Benfica] tivessem o sifnificado de uma solicitação ou convite a um atuação parcial por parte dos árbitros".

Conteúdo publicado por Sportinforma