Futebol

22-05-2017 16:50

Futuro de José Mota no Aves está "em aberto"

Presidente da SAD disse estar "muito satisfeito" com José Mota, mas remeteu uma decisão sobre o futuro do técnico para uma reunião entre as duas partes, marcada para quarta-feira.
José Mota
Foto: FERNANDO VELUDO / LUSA

José Mota

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente da SAD do Desportivo das Aves disse esta segunda-feira estar "muito satisfeito" com José Mota, mas remeteu uma decisão sobre o futuro do técnico para uma reunião entre as duas partes, marcada para quarta-feira.

Luiz Andrade referiu à agência Lusa que "a relação [da SAD com o treinador] foi muito boa", salientando ainda que se "criou um vínculo muito próximo ente os dirigentes e o treinador".

"Mas vamos tentar ver o melhor para o clube", ressalvou, remetendo para essa reunião "uma decisão" quanto ao treinador para a próxima temporada.

O dirigente acrescentou que a SAD está muito satisfeita com José Mota e com “aquilo que ele fez”, mas deixou “bem claro” que vai refletir, para, mais adiante, dizer que, "se calhar, a continuidade dele seria benéfico para todos"

Alguns meios de comunicação social falaram já em possíveis sucessores do atual técnico, mas o presidente da SAD do Aves afirma haver "muita ficção".

"Não temos as possibilidades que pensam que nós temos. De chegar a essas pessoas todas. Não há nada, não há conversas e não sei o que pode acontecer", comentou ainda.

José Mota substituiu Ivo Vieira após a equipa sofrer quatro desaires consecutivos, assumindo funções na 29.ª jornada, p que lhe permitiu atingir o grande objetivo do Aves para esta época, que era a subida à I Liga, obtendo o segundo posto, com 81 pontos, menos dois do que o Portimonense, campeão nacional do segundo escalão.

Luiz Andrade disse também que ainda não há reforços assegurados, apesar de "haver muitos jogadores que foram oferecidos".

"Ouvimos todos, mas, enquanto não acertamos com a equipa técnica, não sabemos qual o trajeto que vamos traçar e não virmos o orçamento que vamos ter, é tudo ficção", destacou.

O presidente da SAD avense destacou haver "obras para fazer" no estádio e o centro de estágio já em construção, que terá dois campos de relva natural, um sintético e um hotel de 52 quartos, sendo este um investimento aproximado de 4,5 milhões de euros.

O dirigente diz que a SAD quer "trabalhar com segurança na próxima época, sem exagero e com cautela, para evitar uma descida logo primeiro ano, o que seria trágico".

"O principal objetivo [para 2017/18] é manter a equipa na I Liga, mas com cautela e não inventando aquilo que não temos", reforça, frisando que "a SAD não deve um euro a ninguém e evita dar um passo maior do que a perna".

Luiz Andrade vai mais longe dizendo querer a equipa "o mais próximo possível do meio da tabela, para que a manutenção não seja sofrida"

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional entregou "uma lista" com as intervenções necessárias no estádio e Luiz Andrade diz que é "muita coisa, muito mais do que pensava".

A bancada de imprensa deverá ser transferida para a outra bancada e, por exemplo, será preciso "trocar o relvado todo" e alarga-lo "três metros".

"Fizemos um cálculo de um milhão de euros para melhorar o estádio", adiantou.

O orçamento para o futebol deverá ser "mais do dobro do deste ano", podendo atingir "três milhões de euros", segundo Luiz Andrade.

Conteúdo publicado por Sportinforma