FC Porto

28-05-2017 09:28

Pinto da Costa:"Não tenho tempo para os inimigos"

Presidente do FC Porto disse que as glórias do passado vão servir para o futuro.
Assembleia-geral extraordinária da Liga Portuguesa de Futebol Profissional
Foto: © 2017 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Pinto da Costa, presidente do FC Porto

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente do FC Porto referiu no sábado que as glórias do passado e a conquista da Taça dos Campeões Europeus, em 1987, servirão de "motivação para um futuro de conquistas", garantindo ainda que "o presente é de esperança".

Pinto da Costa discursou num evento de que serviu para celebrar o 30.º aniversario da conquista do FC Porto da Taça dos Campeões Europeus, depois da vitória frente ao Bayern de Munique (2-1), e que contou com mais de 600 pessoas, admitindo que "viver a memória do passado só interessa se isso servir como motivação para o futuro".

"É bom recordar este tempo, mas isso só interessa se fizer com que o espírito de união esteja também no presente. O passado é glorioso, o presente é de esperança, mas o futuro tem que ser de orgulho daqueles que no passado escreveram a história do FC Porto. O exemplo dos antigos campeões será digno do que representaram,", referiu Jorge Nuno Pinto da Costa.

O presidente dos ‘dragões’ prometeu ainda que o futuro será baseado com uma resposta de "trabalho e união", para que o FC Porto regresse rapidamente às conquistas.

Em relação à conquista de 1987, Pinto da Costa admitiu que ainda hoje se arrepia ao ver as imagens e prometeu que, enquanto estiver na presidência, vai continuar com o mesmo foco com que assumiu o cargo há 35 anos.

"Enquanto estiver presente não há nada que me faça desviar daquilo que tracei para o clube e que passa por servir o FC Porto, com a mesma paixão com que assumi a presidência há 35 anos", reforçou ainda.

Sobre a contestação de alguns adeptos, nomeadamente das pinturas em vários locais com frases a pedir ao presidente para se demitir, o presidente preferiu ignorar.

"Eu não tenho tempo para os nossos inimigos. Só tenho tempo para os nossos, para os que nos querem bem", disse.

Pinto da Costa referiu ainda a importância da conquista de 1987, utilizando-a como um marco importante na história do clube do Porto.

"Não é uma taça qualquer. O que é importante ver é o que ela representou para a imposição do FC Porto ao mais alto nível europeu e mundial. Felizmente não foi um acidente a termos conquistado, felizmente, depois daquela, vieram mais seis, o Bela Guttmann nunca foi mal tratado aqui", ironizou.

No evento em que estiveram presentes alguns dos ‘heróis’ que levaram para o Porto a primeira Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1987, como foi exemplo Futre, Jaime Magalhães ou Frasco, o presidente do FC Porto aproveitou ainda por homenagear os que não puderam estar presentes, nomeadamente Madjer, Juary, Inácio, Mlynarczyk e Artur Jorge.

Conteúdo publicado por Sportinforma