Primeira Liga

09-06-2017 14:20

Ex-árbitro Duarte Gomes reage à denúncia do FC Porto

Antigo árbitro internacional afirma que o caso deve ser investigado da melhor maneira.
ffaf775a76e2b1fa6cde02709cd97502c7dde21c.jpg
Foto: JOSE COELHO/LUSA

Duarte Gomes foi árbitro entre 1991 e 2015

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Duarte Gomes não se vai pronunciar publicamente sobre este caso. O antigo árbitro afirmou que todos os casos de alegada corrupção devem ser investigados com todo o rigor.

Numa publicação realizada na rede social Facebook, o antigo juiz recordou todos os casos que passou, enquanto era árbitro mas diz que a "verdade tem de ser toda apurada" para que se possa falar sobre este assunto.

O antigo árbitro afirma também que que só uma boa investigação poderá contribuir para que se "punir quem for eventualmente culpado e limpar o bom nome de quem foi injustamente arrastado para a lama".

Recorde-se que o FC Porto acusou o Benfica de estar envolvido num esquema de corrupção e apresentou como provas alegados e-mails trocados entre o ex-árbitro Adão Mendes e o diretor de conteúdos da BTV, Pedro Guerra

Veja a mensagem do árbitro:

"Tenho recebido muitas mensagens para me pronunciar sobre os alegados esquemas de corrupção no futebol.
Deixem-me que vos diga uma coisa muito claramente: fui árbitro de 1991 a 2015.
Durante estes anos, ouvi e li sobre histórias e "estórias" de todo o tipo, vinda de todos os lados, com vários protagonistas e múltiplas versões.
Posso dizer que sou do tempo em que alguns árbitros foram, de facto, condenados por corrupção. E bem. Muito bem!!
Sou do tempo dos apitos, das escutas e das alegadas nomeações a pedido.
Sou do tempo em que se depositava dinheiro na conta de árbitros honestos para que passassem por corruptos.
E sou também deste tempo.
Do tempo das alegadas manipulações de resultados e das apostas ilegais.
Do tempo dos vouchers.
Do tempo da divulgação pública de conversas privadas.
Do tempo dos emails.
Nunca me pronunciei publicamente sobre nenhum e nunca o farei. Sabem porquê?
Porque não sou jornalista de investigação, porque não estou ligado à justiça desportiva ou civil e porque não devo falar sobre temas polémicos sem que a verdade esteja toda apurada.
O que vos posso dizer é o seguinte:
Qualquer situação (passada ou recente) que levante suspeitas ou dúvidas, deve ser investigada com o maior rigor, transparência e celeridade. Para bem do futebol!
Só assim se poderá acusar e punir quem for eventualmente culpado e só assim se poderá limpar o bom nome de quem foi injustamente arrastado para a lama.
Tudo o resto fica para a justiça popular."

Conteúdo publicado por Sportinforma