I Liga

15-06-2017 10:04

Simão Sabrosa: "Benfica é o favorito" para a próxima época

Benfica parte em vantagem para a I Liga, segundo Boa Morte, Dimas e Simão.
Simão Sabrosa

Simão Sabrosa, antigo jogador do Benfica

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os antigos futebolistas Dimas, Simão Sabrosa e Luís Boa Morte afirmaram hoje que a I Liga portuguesa de futebol de 2017/18 terá os três ‘grandes’ na luta pelo título, com o Benfica em vantagem.

Para Simão Sabrosa, os ‘encarnados’ têm “protagonismo” no próximo campeonato graças aos últimos quatro títulos conquistados, explicou à Lusa.

“Quando o Benfica está numa onda vencedora, o que já aconteceu com o FC Porto, os jogadores ganham esse gosto de ganhar e é difícil para as outras equipas derrubarem esse protagonismo”, apontou o antigo capitão das ‘águias’, que representou de 2001 a 2007, depois de ter feito a formação no Sporting.

O jogador falava à margem de um jogo solidário entre a Fundação Luís Figo e a Fundação Dimitar Berbatov, que decorreu na terça-feira, no Estádio Nacional Vasil Levski, em Sófia.

O antigo internacional considera que ‘dragões’ e ‘leões’ querem quebrar “a onda vitoriosa” do Benfica e o tetracampeão “quer mantê-la”, pelo que será um campeonato “muito bom para os adeptos”.

Simão deixou ainda uma nota para os “bons treinadores” que encabeçam cada um dos três ‘grandes’, aproveitando para destacar os principais pontos fortes do ‘estreante’ Sérgio Conceição, que assumiu o comando dos portuenses depois da saída de Nuno Espírito Santo.

“O Sérgio prepara-se muito bem, é um estudioso, que gosta de ganhar porque tem aquela garra, já quando era jogador, e isso pode ser importante”, considerou Simão Sabrosa, que apontou como essencial “ter o maior número de soluções no plantel”.

“O Benfica atravessa uma fase melhor, porque é o que tem ganhado nos últimos anos, e os outros quererão quebrar esse domínio”, atirou à Lusa o antigo internacional português Luís Boa Morte, antes da partida solidária.

Para o extremo, “os suspeitos do costume são sempre os mesmos”, ainda que tenha destacado a conquista da I Liga de futebol pelo Boavista, em 2001, e as “boas prestações” do Sporting de Braga nas últimas temporadas.

Boa Morte, que passou grande parte da carreira em Inglaterra, em clubes como o Arsenal, ao serviço do qual foi campeão, Southampton, Fulham ou West Ham, tendo representado Portugal no Mundial2006, vê os ‘pretendentes’ ao ‘trono’ ocupado pelo Benfica com vontade de voltar aos títulos.

“O FC Porto tem andado à procura da pessoa ideal para conseguir que voltem aos títulos, e o Sporting está num período de jejum desde 2002, o que é complicado”, acrescentou.

Luís Boa Morte, que apontou Luís Figo como “o ídolo de sempre”, tendo lembrado a “honra” de dividir o balneário com o extremo na seleção e nos jogos da Fundação, destacou ainda o peso da academia do Benfica no plantel principal dos ‘encarnados’, elogiando a formação do clube como “a melhor neste momento”.

“Neste momento, olhando para a formação, é notório que o Benfica está uns anos à frente das outras academias. Antigamente, o Sporting enviava muitos jogadores à seleção, e agora o Benfica manda mais, ainda que o Sporting tenha ganho o campeonato de juniores”, explicou, lembrando que a “forma de trabalhar” dos tetracampeões os coloca um passo à frente dos adversários.

O antigo extremo, que chegou a alinhar como lateral no jogo solidário, realçou o “bom trabalho” de Sérgio Conceição no Nantes e as hipóteses de que o antigo internacional saiba “retirar o melhor” do plantel ‘portista’.

Igualmente presente na equipa de Luís Figo para o encontro com os escolhidos de Dimitar Berbatov esteve Dimas, agora com 48 anos, que representou Portugal nos Europeus de 1996 e 2000, somando um total de 44 jogos pela seleção numa carreira passada em clubes como Benfica, Sporting, Juventus ou Vitória de Guimarães.

Sobre o campeonato nacional de futebol em 2017/18, o antigo atleta destacou como “fundamental” o arranque da temporada para uma campanha bem sucedida rumo ao título.

“Benfica, FC Porto e Sporting têm de se preparar para ter plantéis para serem campeões”, explicou o antigo lateral, sendo que os três ‘grandes’ devem “ver os erros que cometeram no passado” para melhorarem na próxima temporada, ainda que o Benfica “parta com alguma vantagem”, pela “sequência de quatro campeonatos” e pela maior “estabilidade”.

Conteúdo publicado por Sportinforma