Moreno

03-07-2017 12:12

"A história do Vitória obriga-nos a fazer uma época parecida com a do ano passado"

Capitão do Vitória de Guimarães fez o lançamento da nova época.
Moreno parte para a 11.ª época nos minhotos
Foto: LUSA

Moreno parte para a 11.ª época nos minhotos

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Moreno, defesa central e capitão do Vitória de Guimarães realçou este domingo que o clube precisa de fazer, em 2017/18, "uma época parecida com a do ano passado", na qual obteve o quarto lugar na I Liga portuguesa de futebol.

A equipa orientada pelo técnico Pedro Martins iniciou hoje os trabalhos e o jogador, de 35 anos, sublinhou, na antevisão à nova época, a importância da equipa "manter-se sempre ao nível que esteve no ano passado" e superar a "rotina" dos últimos anos de uma "época boa", seguida de uma época "menos boa".

"O Vitória não pode fazer uma época boa e, no ano a seguir, estar ali a meio. É importante que o Vitória consolide o que foi tão bem feito no ano passado e não só dentro das quatro linhas: o Vitória foi um grande exemplo do que é viver o futebol, do ambiente que se cria dentro do estádio", disse aos jornalistas, antes do primeiro treino.

O defesa, que parte para a 11.ª época nos minhotos, acrescentou que a "história do Vitória" obriga o plantel a fazer, no mínimo, "uma época parecida com a do ano passado", considerando que a "estabilidade" conferida pelas permanências do treinador Pedro Martins e de alguns jogadores é "importante", apesar do plantel estar ainda longe de fechado.

"O Vitória manteve essa estabilidade, quer a nível técnico, quer a nível de profissionais, de jogadores. Agora, no dia de hoje, não há nenhum clube que tenha o plantel definido. Há muito mercado pela frente. Até ao fim, há coisas que irão mudar, mas isso é normal em todos os clubes", disse.

O jogador vimaranense recusou ainda que uma eventual sobrecarga de jogos resultante da participação na fase de grupos da Liga Europa, a partir de setembro, possa ser um problema, classificando a ida a uma prova internacional como um "prazer", mas admitiu que, por ora, a equipa tem outras prioridades.

"O nosso foco, neste momento, é integrar bem os reforços, fazê-los sentirem-se bem aqui, fazê-los perceber o que é o Vitória. Depois, focar-nos na Supertaça [com o Benfica, a 05 de agosto], porque o Vitória só tem uma Supertaça, e é importante a gente conseguir mais um troféu. Vamos lutar por isso. Depois, vamos focar-nos no campeonato e só depois vêm as provas europeias", enumerou.

Com 207 jogos oficiais ao serviço do Vitória, Moreno prolongou o contrato por mais uma época, no início de junho, e defendeu que "só faz sentido estar no futebol" se se quiser jogar, apesar de estar disponível para "ajudar" a equipa de "outras formas".

Elogiado por Pedro Martins no final da época passada, por ser "peça muito importante dentro do balneário" e "referência como capitão", Moreno recusou o papel de "líder" do balneário, embora tenha apontado a necessidade de "fazer perceber" aos reforços o "que é o Vitória".

"Isto de ser líder é uma coisa natural. O balneário seria o mesmo sem o Moreno. Fico satisfeito por o ‘mister’ ter pedido que eu continuasse. Estou aqui de ‘corpo e alma’. Também tenho a noção do grupo que o Vitória tem. São profissionais responsáveis", concluiu.

Conteúdo publicado por Sportinforma