Futebol

11-07-2017 16:50

FC Porto perto da versão final para destronar o Benfica

Começa-se a vislumbrar o esboço daquilo que poderá ser o FC Porto, versão 2017/2018.
Treino do FC Porto
Foto: FC Porto

Treino do FC Porto

Por Evandro Delgado sapodesporto@sapo.pt

Começa-se a vislumbrar o esboço daquilo que poderá ser o FC Porto, versão 2017/2018. Os ´dragões` ainda têm muitos dossiers para fechar, mas, analisando o atual plantel à disposição de Sérgio Conceição, já é possível ter uma ideia daquilo que poderá ser o onze-base a apresentar nos jogos oficiais.

Para esta época 2017/2018 só há uma alternativa no Dragão: vencer o título em Portugal. Os azuis-e-brancos atravessam uma ´seca` de quatros anos sem o título de campeão e viram o rival Benfica sagrar-se tetracampeão e vencer 11 dos últimos 16 títulos em Portugal. Para inverter este ciclo a SAD liderada por Pinto da Costa apostou num treinador com ´ADN Porto`, mas com pergaminhos diferentes de Nuno Espírito Santo, o anterior técnico. Sérgio Conceição terá de inverter este ciclo, mas para lá chegar terá de saber com que ferramentas irá trabalhar.


Saídas confirmadas, outras por confirmar

Para já o técnico sabe que vai terá de formar uma nova frente de ataque. André Silva, que vinha perdendo preponderância com NES no final da época passada, saiu para o AC Milan, assim como Diogo Jota que voltou ao Atlético Madrid após empréstimo. Depoitre, que nada mostrou no Dragão, foi vendido ao Huddersfield Tonw de Inglaterra.

No meio-campo a saída de Rúben Neves para o Wolverhamton não deverá fazer muitos ´estragos` na equipa, já que o jovem médio não vinha a ser opção nos últimos dois anos.

Willy Boly também deixou a defesa azul-e-branca e seguiu o mesmo caminho de Rúben Neves, mas por empréstimo.

Mas até ao final de agosto outros jogadores poderão deixar o Dragão: tudo dependerá da proposta e da necessidade da SAD em realizar mais-valias. Herrera, Martins Indi, Aboubakar e Marega são jogadores com mercado e que poderão render mais alguns milhões.


Regressados de qualidade

O FC Porto iniciou os trabalhos para a nova época com uma novidade: não tinha qualquer reforço até a altura. Um dado curioso e que é justificado pelos problemas financeiros da SAD portista e com a questão do fair-play financeiro da UEFA.

Posto isto, Conceição terá de se socorrer dos jogadores que estiveram emprestados e que deram muitos nas vistas na época passada. Na defesa, Ricardo Pereira voltou após dois anos de empréstimo muito proveitosos no Nice. Há ainda Martins Indi que brilhou no Stoke City. Diego Reyes também voltou, mas deverá ser vendido para o Espanhol de Barcelona.

O meio-campo é o sector com menos mudanças. Apesar disso, o FC Porto fez regressar Mikel Agu, uma alternativa a Danilo, e volta a ter Sérgio Oliveira, médio que não tem sido feliz no Dragão. Fede Varela também deverá ser emprestado.

Na frente, além de Aboubakar, Conceição terá Hernâni, com quem trabalhou no Vitória de Guimarães, tal como Marega. Os dois estão de volta à Invicta após grande época no Minho.

Esboço de um onze sem grandes mudanças

Analisando aquilo que é o plantel atual e se tivermos em conta que mais ninguém do núcleo duro irá sair, pode-se afirmar que o FC Porto tem equipa para lutar pelo título com o Benfica e o Sporting.

Conceição está a recuperar o 4-3-3 que já faz parte do ´ADN Porto` e prepara um 4-4-2 como alternativa. Este será o esquema tático que melhor partido pode tirar dos jogadores.

Guarda-redes
Na baliza, Casillas renovou pelo que o seu lugar está assegurado. José Sá é a alternativa, com o jovem João Costa a aparecer como terceiro guarda-redes. Bolat, Raúl Godiño e Fabiano deverão ser emprestados ou vendidos.

Lateral direita: na direita da defesa Ricardo Pereira perfila-se como principal candidato ao onze. Maxi Pereira deverá ser relegado para um plano secundário, numa posição em que o FC Porto conta ainda com o jovem Fernando Fonseca. Vitor Garcia deverá voltar a ser emprestado para rodar.

Lateral esquerda: Alex Telles parece ter o lugar garantido, mas terá de mostrar mais que Miguel Layún e Rafa Soares. O mexicano tem mercado e poderá sair, mas Conceição deverá travar a sua saída, visto ser um jogador polivalente, que tanto atuar como médio como lateral direito ou esquerda. Se ficar, Rafa poderá perder espaço e ser novamente cedido.

Centrais: a dupla de centrais deverá voltar a ser formada por Felipe e Marcano, dois jogadores que deram conta do recado na época passada. Os dois formaram uma dupla muito sólida, com destaque para Felipe. Martins Indi entra como terceira opção, mas poderá convencer Conceição a apostar nele e ´roubar` o lugar a Marcano. Os ´dragões` terão de procurar um quarto central, que poderá chegar da equipa B ou mesmo dois defesas para essa posição, caso Martins Indi deixe o clube.

Médios: O FC Porto irá tentar a todo o custo manter Danilo, um dos jogadores mais importantes do plantel. Para a sua posição, o clube fez regressar o nigeriano Mikel Agu após grande temporada no V. Setúbal. A SAD azul-e-branca comprou ainda na época passada o passe de Oliver e mantém Hector Herrera, apesar de o mexicano ainda poder sair. Sérgio Oliveira voltou, depois de uma época no Nantes, mas terá de mostrar muito mais a um treinador que tão bem o conhece. Há ainda André André, Otávio e João Carlos Teixeira, embora este último não tenha um lugar seguro no plantel. Em 4-3-3, Danilo, Óliver e Otávio deverão ser as opções mais óbvias, num trio que deverá variar em função do adversário.

Avançados: na frente de ataque o principal objetivo passa por manter Brahimi. O argelino é peça-chave no novo Dragão, pelo que só uma boa proposta irá fazer a SAD abrir mão dos seus serviços. Brahimi junta-se assim a Corona, Hernâni e Galeno entre as opções para as laterais do ataque, numa posição que ainda pode ser preenchido por Otávio e Marega. Em condições normais, Brahimi e Corona serão os titulares. Os vice-campeões nacionais poderão equacionar ir ao mercado por mais um extremo de muita qualidade.

A maior incógnita prende-se com o jogador que irá jogar no centro do ataque. Soares chegou em janeiro e convenceu logo a plateia, mas caiu e muito de rendimento nos últimos jogos, apesar de ser sempre titular. Há o regressado Aboubakar que, se ficar, irá acrescentar qualidade a equipa. Para esta posição os ´dragões` contam ainda com o jovem Rui Pedro, que neste momento representa os sub-19 de Portugal no Europeu da categoria.

A SAD azul-e-branca não descarta uma ida ao mercado por um avançado ou dois, caso Aboubakar não fique no plantel. Tudo dependerá das opções de Sérgio Conceição e das capacidades financeiras da SAD, mas, dada as condicionantes do mercado, os azuis-e-brancos poderão apostar em empréstimos de jogadores com provas dadas e que possam acrescentar qualidade ao plantel.

Ainda faltam mais que um mês e meio para o fecho do mercado, pelo que, até lá, poderá haver algumas novidades no Dragão.

Conteúdo publicado por Sportinforma