Benfica

14-07-2017 09:00

Seferovic e Diogo Gonçalves já dão bons indicadores

Avançado suíço e extremo português estiveram em destaque na vitória do Benfica frente ao Neuchâtel Xamax.
Seferovic celebra o primeiro golo pelo Benfica
Foto: S.L. Benfica

Seferovic celebra o primeiro golo pelo Benfica

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Um golo do brasileiro Jonas e outro do suíço Seferovic permitiram ao Benfica vencer os suíços do Neuchatel Xamax por 2-0, no primeiro das 'águias' de preparação para a temporada 2017/2018 de futebol.

A vitória 'encarnada' ficou definida nos primeiros 20 minutos, com Jonas a inaugurar o marcador logo aos cinco minutos, na conversão de uma grande penalidade, tendo Seferovic se estreado a marcar pelo tetracampeão nacional, aos 19 minutos.

Paulo Lopes - Não teve grande trabalho na segunda parte. Rendeu Júlio César depois do intervalo e mostrou sempre segurança nas poucas situações de perigo do Neuchâtel Xamax FCS.

Pedro Pereira - Entrou bem no segundo tempo no lado direito da defesa do Benfica a dar um apoio contínuo ao ataque encarnado, nomeadamente com a entrada de Rafa.

Lisandro - Substituiu Rúben Dias e voltou a mostrar que é uma opção válida para o centro da defesa do Benfica voltando a fazer dupla com Jardel. Com sentido de posicionamento apurado, o argentino mostrou ainda a sua qualidade no jogo aéreo para cortar lances de perigo.

Jardel - Depois de uma época em que jogou pouco, o defesa central brasileiro foi um dos melhores em campo até ser substituído aos 69 minutos para dar o lugar a Kalaica. Forte no jogo aéreo, Jardel foi um dos pilares da defesa encarnada e o capitão de equipa, mostrando que vai lutar pela titularidade com a saída de Lindelof.

Hermes - O lateral esquerdo foi o único jogador de Rui Vitória a atuar os 90 minutos frente ao Neuchâtel Xamax FCS mostrando que tem a propensão para avançar muito no terreno nas manobras atacantes. No entanto, permitiu muito espaço aos adversários que exploraram o seu flanco para criar lances de perigo.

Chrien - O jovem médio mostrou alguns bons indicadores, mas notou-se a falta de entrosamento com os colegas de equipa. Fez um remate em zona frontal que acabou por sair fraco e sem dificuldades para o guarda-redes adversário.

Fejsa - Colmatada a lesão contraída na final da Taça de Portugal, o médio sérvio entrou no início da segunda parte para o lugar de Felipe Augusto e notou-se um acréscimo de qualidade à dinâmica do Benfica apesar da falta de ritmo do número 5 da Luz.

Diogo Gonçalves - O jovem extremo aproveitou a oportunidade dada por Rui Vitória e começou o jogo a titular com vários apontamentos de qualidade. Uma bola na trave aos sete minutos de jogo e uma sequência de lances de perigo mostram que Diogo Gonçalves tem condições para lutar por um lugar na equipa do Benfica. O passe que fez para Jonas ao quarto minuto, e que deu origem à grande penalidade, é um dos exemplos da qualidade deste jovem de 20 anos.

Rafa - O extremo português entrou para o lugar de Cervi e notou-se uma maior adaptação à equipa depois de ter falhado a pré-época no ano passado. Foi um dos melhores jogadores do Benfica na etapa complementar e podia ter feito o golo aos 80 minutos, mas preferiu passar a bola a Arango.

Seferovic - Na estreia com a camisola do Benfica, o avançado suíço não precisou de muitas oportunidades para mostrar o seu valor. Aos 14 minutos, Seferovic juntou à estreia o seu primeiro golo pelo Benfica com um excelente remate cruzado após assistência de Jonas.

Jonas - O avançado brasileiro demonstrou que está em boa condição física e que é um dos jogadores fundamentais na equipa do Benfica. Sempre a procurar espaços para criar perigo, o número 10 dos 'encarnados' foi determinante para a vitória com um golo e uma assistência para a estreia de Seferovic a marcar com a camisola do Benfica.

Júlio César - Com uma defesa de grande nível negou o golo a Gaetan Karlem aos 11 minutos, mostrando que pode ser uma opção válida à saída de Ederson. Seguro em toda a primeira parte, o veterano guarda-redes brasileiro teve uma exibição positiva.

André Almeida - O polivalente jogador começou o jogo no lado direito da defesa e demonstrou desde o primeiro minuto que será uma mais-valia para a longa época que se avizinha. Inteligente na leitura de jogo, André Almeida impediu males maiores em diversas ocasiões de perigo ao fazer bem as 'dobras'.

Rúben Dias - O jovem defesa central estreou-se ao lado de Jardel e no início do jogo mostrou algumas dificuldades para fazer o lugar. No entanto, a experiência de Jardel acabou por permitir a Rúben Dias ganhar confiança com o desenrolar do jogo.

Filipe Augusto - Titular na primeira equipa de Rui Vitória na pré-época, o médio brasileiro falhou muitos passes no arranque do jogo e apresentou algumas dificuldades de posicionamento. No entanto, Filipe Augusto acabou por conseguir aumentar os índices de confiança para terminar a primeira parte em bom plano.

Cervi - O extremo argentino do Benfica começou o jogo a titular no lado esquerdo do ataque 'encarnado' e apesar da falta de ritmo não comprometeu as indicações dada por Rui Vitória. Demonstrou alguns pormenores nas arrancadas pelo corredor esquerdo, mas faltou pontaria e descernimento na hora do remate.

Arango - Irreverente e combativo, o avançado colombiano tentou de tudo para conseguir um golo na segunda parte, arrastando os defesas contrários e procurando sempre espaços para perfurar as linhas defensivas. Aos 80 minutos, Rafa ofereceu-lhe um golo, mas o remate acabou por sair ao lado.

Chris Willock - Pouco entrosado com a equipa, o extremo inglês não acrescentou muito à equipa no segundo tempo.

André Horta - Entrou no decorrer da segunda parte para o lugar de Chrien, e tentou desde logo 'agarrar' o jogo e impor-lhe ritmo, mas sem grandes consequências.

Carrillo - Rendeu Seferovic na etapa final do jogo mas não conseguiu demonstrar o melhor do seu futebol.

Kalaica - O jovem defesa central croata voltou à equipa depois do empate no Bessa a 1-1 e assegurou segurança à defesa do Benfica ao lado de Lisandro López.

Conteúdo publicado por Sportinforma