Qual. CAN2017

06-09-2015 16:10

Vice-presidente do Petro: "Angola esteve muito presa"

Angola empatou a zero em Madagáscar.
Angola
Foto: ANGOP

Angola

Por SAPO Desporto c/ ANGOP sapodesporto@sapo.pt

O empate a zero da selecção nacional de futebol diante do Madagáscar, hoje em Antananarivo, referente ao grupo B de apuramento à fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN2017), a disputar-se no Gabão, está relacionada com a falta de agressividade, segundo o vice-presidente para futebol do Petro de Luanda, Chico Afonso.

Em declarações à Angop, o antigo internacional referiu que, além da péssima qualidade da relva, os Palancas Negras não patentearam um bom futebol que lhe permitisse marcar golos e conservar a liderança do grupo.

"A equipa esteve muito presa, sobretudo no meio campo, onde faltou alguma agressividade perante um adversário ao nosso alcance. Contrariamente ao jogo com a RCA não marcamos nenhum golo mas vamos continuar a trabalhar e acreditar que é possível se qualificar para o CAN”, referiu.

Para si, esperava um pouco mais do combinado nacional, pelo grupo estar constituído actualmente por muitos jovens, que estão a jogar bem nos seus clubes quer no Girabola quer no estrangeiro.

Com este resultado, os Palancas Negras lideram o grupo, à condição, com quatro pontos, mais um que a RDC, que joga neste momento com a República Centro Africana.

Conteúdo publicado por Sportinforma