Penafiel

27-03-2012 20:01

Clube nega dever 400 mil euros ao Fisco

A assembleia-geral extraordinária do Penafiel vai decorrer esta quarta-feira, às 20h30, no salão nobre dos Bombeiros Voluntários de Penafiel.
Clube nega dever 400 mil euros ao Fisco

Por Sapo Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente do Penafiel, António da Silva Gomes, garantiu hoje que o clube deve menos de 400.000 euros ao Fisco e que vai elucidar os sócios sobre o assunto na Assembleia-Geral de quarta-feira.

«O que o Fisco nos notificou para pagar no prazo de 30 dias, não corresponde, nem de perto nem de longe, com o real valor que o Penafiel deve. Eles reclamam cerca de 400.000 euros, quando nós temos dados, fornecidos pela Liga de clubes, que mostram que a nossa dívida é de 150.000. E como estamos no final da época, está em causa a inscrição do clube caso existam débitos ao Fisco», explicou o presidente à agência Lusa.

O líder penafidelense considerou que «com uma dívida de 400.000 euros o clube fecharia as portas» e lembrou que, há cerca de um mês, colocou uma providência cautelar, garantindo que vai «a devido tempo, e com o apoio da Liga de clubes e da Federação, pôr uma ação para que se apure na íntegra os valores que o Penafiel deve».

«Temos dado quase todos os mês uma verba para saldar a dívida que temos e, por isso, estamos com uma situação limpa. Em termos fiscais, estamos com tudo direito. Se fosse a dívida que o Fisco alega, já estaríamos fechados e isso indignava-me ainda mais por causa das nossas camadas jovens», afirmou.

Também em discussão na Assembleia-Geral estarão o Totonegócio e o adiamento da proposta da constituição da SAD, uma vez que, segundo António da Silva Gomes, «não faz sentido avançar para esta situação, enquanto não esteja esclarecida a questão do Fisco».

«Estamos muito interessados em constituir uma SAD, até porque estou de saída e tenho todo o interesse em deixar as coisas organizadas nesse sentido. No entanto, temos que resolver primeiro este equívoco», esclareceu.

António da Silva Gomes, que está prestes a terminar o mandato de quatro anos à frente do Penafiel, admitiu que não está nos seus objetivos a recandidatura.

«Já não tenho idade. Quero sair de cabeça levantada e a saber que, nestes quatro anos em que estive à frente do clube, dignifiquei a instituição e a cidade. Quando aqui cheguei encontrei um clube sem crédito nenhum, e neste momento tenho orgulho de dizer que está limpo, prestigiado e dignificado. Quem vier é isso que vai encontrar e espero que continue este trabalho. Eu estarei do lado de fora a dar todo o meu apoio», esclareceu.