II Liga

11-04-2017 16:33

Leixões em guerra com a Caixa Geral de Depósitos

O novo presidente do Leixões está em protesto por CGD “não dar acesso a conta do clube”.
Adeptos do Leixões

Adeptos do Leixões

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O novo presidente da direção do Leixões, Duarte Anastácio, acusou hoje a Caixa Geral de Depósitos de "não permitir o acesso à conta do clube", apesar de "ter sido entregue toda a documentação exigida para o efeito".

O presidente eleito em fevereiro para a presidência do clube, depois de ter passado seis meses à frente da Comissão Administrativa do clube de Matosinhos, disse à Agência Lusa "que desde setembro de 2016 que não lhe é dado acesso à conta" aberta na agência sita na Avenida Afonso Henriques, naquela cidade.

"Já fomos eleitos, já tomámos posse, tal como solicitado entregámos as atas quer da eleição quer da tomada de posse, mas, aqui chegados, continua a ser-nos negado o acesso à conta", explicou Duarte Anastácio, um dia "após o banco ter dito que hoje iria estar tudo pronto".

O dirigente disse ter recebido "ontem [segunda-feira] um contacto informando de que hoje teriam acesso à conta" mas quando se apresentou no banco foi informado de que “o processo, até então nas mãos do gabinete jurídico, havia passado para a coordenadora para um segundo parecer".

"Isto assim não pode ser", reclamou Duarte Anastácio denunciando que "nem a gerente aceitou receber" o presidente do Leixões.

E continuou: "A coordenadora ligou para aqui a dizer que não sabe quando vai despachar o processo, se ainda hoje ou amanhã [quarta-feira]".

Duarte Anastácio relatou à Lusa que a forma encontrada pela direção para contornar a situação passa por "guardar no cofre do estádio as receitas que chegam das quotas dos associados".

Contactada pela Lusa, a gerente da agência, Carla Manuela Vieira, escusou-se a prestar esclarecimentos.

Conteúdo publicado por Sportinforma