Vídeo-árbitro

04-05-2017 22:41

Brasil vai testar vídeo-árbitro em jogos oficias

Equipa brasileira é uma das 13 autorizadas pela FIFA.
Vídeo-árbitro

Sistema de ajuda aos árbitros está na ordem do dia

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Brasil, um dos 13 países autorizados pela FIFA para testar o vídeo-árbitro, vai usar pela primeira vez esta tecnologia no domingo em jogos oficiais, informou hoje a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O vídeo-árbitro será testado no embate entre Sport e Salgueiro, primeiro jogo da final do campeonato Pernambucano, no nordeste do Brasil.

“Será um dia histórico para o desporto mais popular do mundo. Após um ano de trabalho neste projeto, a Confederação colocará a tecnologia em prática”, escreveu a CBF, em comunicado.

A CBF já realizou testes com vídeo-árbitro, mas esta vai ser a primeira vez que o visionamento será usado oficialmente pela equipa de arbitragem.

Ao contrário do que sucede noutros países europeus, no modelo adotado pelo Brasil a equipa que visiona as imagens não está no campo e comunica eletronicamente com a equipa de arbitragem.

Tal como pretende a FIFA, o vídeo-árbitro será utilizado relativamente a situações de “erro claro” em quatro situações: golos mal anulados ou validados, grandes penalidades, cartões vermelhos e jogadores expulsos e erros na identificação de jogadores.

Em Portugal, o recurso ao vídeo-árbitro vai entrar em vigor na próxima época de futebol, na I Liga, revelou hoje o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, após autorização do International Board (IFAB).

“O IFAB, em função da capacidade que cada federação demonstra, pode autorizar a sua utilização oficial. E já recebemos a indicação de que isso será possível no nosso caso”, salientou Fernando Gomes em declarações à assessoria da FPF.

O processo teve início a 05 de março de 2016, quando o IFAB aprovou o vídeo-árbitro, com dois anos para testes, e em junho assinou o protocolo que incluiu Portugal entre seis países pioneiros, juntamente com Austrália, Brasil, Alemanha, Holanda e Estados Unidos.

Conteúdo publicado por Sportinforma