Portimonense

24-05-2017 15:51

Amigos e colegas homenageiam Vítor Oliveira

O feito com o clube de Portimão foi a sua quinta subida de divisão consecutiva, e décima no total da carreira.
Amigos e colegas homenageiam Vítor Oliveira
Foto: LUÍS FORRA

O feito com o clube de Portimão foi a sua quinta subida de divisão consecutiva, e décima no total da carreira.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ‘treinador das subidas’, Vítor Oliveira, que esta época levou o Portimonense de regresso à I Liga, foi homenageado hoje, nos arredores do Entroncamento, por um grupo de amigos e conhecidos do mundo do futebol.

O feito com o clube de Portimão foi a sua quinta subida de divisão consecutiva, e décima no total da carreira.

A escolha do Entroncamento, cidade conhecida por "terra dos fenómenos", foi intencional, como explicou Campos Coroa, ex-presidente da Académica de Coimbra e um dos organizadores do evento, que juntou ao almoço cerca de uma centena de convidados, entre os quais muitos dos presidentes dos dez clubes que subiu de divisão.

"Esta é a merecida homenagem a um grande treinador, mas, sobretudo, a um grande homem", afirmou o ex-dirigente que descreveu Vítor Oliveira como "um homem sério, trabalhador, que diz o que tem a dizer olhos nos olhos e que é incapaz de meter uma faca nas costas de alguém".

Os elogios estenderam-se a outros convivas. Henrique Calisto, treinador e amigo de infância de Vítor Oliveira, com quem partilhou os jogos de rua e a formação no Leixões, recorda alguém que desde cedo demonstrou "espírito de liderança, inteligência e sagacidade" muito acima da média, bem como uma "enorme capacidade de fazer amigos".

"Era um jogador tecnicamente muito evoluído", recorda Calisto, que ainda se lembra de um jogo nos juniores em que Vítor Oliveira, que antes de se afirmar como médio jogou a ponta de lança, marcou 14 golos.

Vítor Oliveira, que neste almoço reencontrou amigos que já não via há vários anos, não escondeu a gratidão pela presença de todos e agradeceu a homenagem daqueles que, de alguma forma ou de outra, estiveram ligados aos seus êxitos desportivos.

Vítor Oliveira, de 63 anos, nasceu em Matosinhos, no distrito do Porto, a 17 de novembro de 1953. Jogou futebol no Leixões, onde passou a sénior, na época de 1970-1971, jogando ainda no Paredes, Famalicão, Sporting de Espinho, Sporting de Braga e Portimonense, clube onde acabaria a carreira, na época de 1984-1985.

A primeira experiência no comando de uma equipa aconteceu no Famalicão, na época de 1978-79, então como jogador-treinador, mas a estreia ‘a sério’ como treinador aconteceu na época de 1985-86, curiosamente no Portimonense, clube que agora fez regressar à I Liga.

No seu percurso de mais de 30 anos como treinador, Vítor Oliveira passou por cerca de duas dezenas de clubes, alguns por mais de uma vez, destacando-se as dez subidas de divisão, com outros tantos clubes.

Paços de Ferreira (1990-1991), Académica (1996-1997), União de Leiria (1997-1998), Belenenses (1998-1999), Leixões (2006-2007), Arouca (2012-2013), Moreirense (2013-2014), União da Madeira (2014-2015), Desportivo de Chaves (2015-2016) e Portimonense (2016-2017) foram os emblemas promovidos por Vítor Oliveira.

A esta dezena de subidas de divisão, as últimas cinco obtidas de forma consecutiva, juntam-se mais cinco títulos nacionais do segundo escalão do futebol português, obtidos ao serviço do Paços de Ferreira (1990-1991), União de Leiria (1997-1998), Leixões (2006-2007), Moreirense (2013-2014) e Portimonense (2016-2017).

Conteúdo publicado por Sportinforma