Sub-21

29-08-2016 22:15

Ricardo Horta: "Qualificação? Quanto mais rápido melhor"

O médio Ricardo Horta afirmou hoje que a seleção portuguesa de sub-21 pretende derrotar Israel e a Grécia nos próximos dois jogos do Grupo 4 para confirmar o mais rapidamente possível a presença ‘play-off’ de acesso ao Euro2017.
Ricardo Horta
Foto: Tiago Petinga

O jogador da seleção nacional, Ricardo Horta, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa após a sessão de treinos desta manhã, no estágio que a seleção de Portugal realiza na Praia D'El Rei, de preparação para o jogo com a Albânia de domingo, que marca o arranque da qualificação para o Euro2016, em Óbidos, 03 de setembro de 2014.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O futebolista do Sporting de Braga salientou que a ‘equipa das quinas’ pretende "dar seguimento" às seis vitórias alcançadas em seis jogos quando defrontar Israel, a 02 de setembro, em Paços de Ferreira, e assim assegurar o primeiro lugar no grupo, antes de receber a Grécia, a 06, em Barcelos.

"Quanto mais rápido melhor. Vamos ter um jogo que vai ser difícil. Queremos ganhar, queremos marcar golos, não queremos sofrer e queremos selar já o apuramento", assegurou, antes do treino da tarde, que decorreu no Campo do Montinho, nas Caldas das Taipas (concelho de Guimarães).

O jogador, natural de Almada, sugeriu que a força demonstrada pela equipa nesta fase de apuramento provém do "espírito de equipa" que existe entre os jogadores "em todos os lances", considerando que o selecionador, Rui Jorge, se distingue pela "liderança" que transmite.

"Do que já trabalhei com o ‘mister’ Rui Jorge, o principal destaque é a liderança que tem. Tudo o que nos transmite entra bem na cabeça e faz de nós melhores jogadores. Sabemos melhor o que temos de fazer dentro de campo", explicou.

Ricardo Horta, de 21 anos, já com 13 internacionalizações na categoria, elogiou o restante grupo de trabalho, ao afirmar que todos os convocados "têm muita qualidade" e "podem vir a dar o salto para a seleção A", embora tenha frisado a importância de "cada coisa a seu tempo" e realçado o "orgulho" por integrar a "convocatória.

O médio, já experiente na seleção sub-21, exprimiu a convicção de que o "desempenho" apresentado nos clubes por que tem passado lhe tem garantido as sucessivas chamadas, recusando que o facto de jogar neste ano na I Liga portuguesa de futebol facilite a ida à seleção.

"Tento desempenhar o meu trabalho da melhor forma no clube para merecer uma chamada. Já fui internacional A, mas o meu foco é trabalhar bem no clube para ser chamado à seleção", afirmou.

Um dos estreantes nos convocados para a seleção sub-21 é o irmão, André Horta, futebolista que representa o Benfica, com Ricardo a revelar que nunca jogaram lado a lado, excetuando "na rua ou na escola", e que seria um "sonho" jogar com ele, apesar de não ser um objetivo desportivo.

"É especial, com tão pouca diferença de idades, estarmos na mesma seleção. É algo incomum no futebol, mas já que estamos aqui os dois, certamente iremos aproveitar", sublinhou o médio arsenalista.

Entre os 23 jogadores convocados, apenas o extremo Carlos Mané se ausentou por motivos pessoais.

Portugal, vice-campeão europeu do escalão, lidera o Grupo 4, com 18 pontos, mais seis do que a Albânia, segunda com mais dois jogos disputados, e mais sete do que Israel, terceira, que defronta na sexta-feira, pelas 17:15, no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira.

Conteúdo publicado por Sportinforma