Fernando Santos

18-03-2016 14:03

"Não criem ansiedade sobre o Renato Sanches"

O selecionador nacional evitou fazer muitos comentários sobre a primeira convocatória do médio do Benfica.
FC Porto critica op
Foto: © 2015

Fernando Santos

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Fernando Santos oficializou hoje a esperada estreia do jovem Renato Sanches na convocatória da seleção portuguesa para os jogos particulares com Bulgária e Bélgica, nos próximos dias 25 e 29. No entanto, o selecionador não se quis alongar em comentários sobre a chamada do médio de 18 anos do Benfica para "não criar ansiedade" em Renato Sanches.

"Vamos agora ver nestes dias que vai estar connosco. Uma coisa são as observações em campo ou por vídeo, outra é no trabalho diário connosco. Vamos ver durante esta semana com atenção", começou por dizer o técnico em conferência de imprensa realizada na sede da FPF, evitando de seguida comentários mais longos: "O Renato está nesta lista de 24 jogadores. Não me façam perguntas sobre o Renato Sanches. Devemos centrar-nos em todos e não só nele. Não vamos criar ansiedade ao miúdo. A mim já não me criam ansiedade, porque já não tenho idade para isso. Ele faz parte deste lote, já o disse há muito tempo. Há outros 16, pelo menos, que ficaram de fora".

O facto de ainda faltarem cerca de dois meses para a convocatória final para o Euro2016 foi, aliás, enfatizado por Fernando Santos. "Não há uma lista fechada. Esta não é a lista definitiva. Há aqui alguns imprendimentos e não sabemos se até lá há outros. É difícil a dois meses de distância avaliar quem está bem", frisou.

Quanto aos lesionados Tiago e João Moutinho, o selecionador disse que ainda é cedo para perceber em que condições estarão no final da época. "Não há uma questão de preocupação, há é jogadores que clinicamente poderão estar mais ou menos aptos. No fim do mês de abril já estaremos muito perto da convocatória final e da entrada em estágio: aí sim iremos saber melhor quem está pronto".

Por outro lado, a diversidade de opções para o meio-campo foi reconhecida pelo selecionador nacional, que garantiu não ter problemas com as boas "dores de cabeça". "Quanto mais jogadores de qualidade, melhor para o treinador. As dores de cabeça são ótimas, porque temos muitas escolhas. Ha um leque que suporta a ausência de alguns e isso é sempre ótimo para o selecionador", rematou.

Conteúdo publicado por Sportinforma