Seleção

29-08-2016 17:28

André Gomes: "A responsabilidade é a mesma de sempre"

O médio português do Barcelona garantiu que Portugal vai continuar a respeitar todos os adversários da mesma forma.
André Gomes
Foto: FRANCISCO LEONG / AFP

André Gomes é um dos 23 eleitos de Fernando Santos

Por João Paulo Godinho sapodesporto@sapo.pt

André Gomes foi o porta-voz da Seleção na concentração dos jogadores esta tarde, na Cidade do Futebol, em Oeiras, para a dupla jornada frente a Gibraltar (particular) e Suíça (a contar para a fase de qualificação para o Mundial 2018).

O médio do Barcelona assumiu a alegria pelo reencontro dos campeões europeus e deixou a garantia que os jogadores da Seleção mantêm o espírito de vitória. "É uma grande felicidade depois de vários meses juntos e da conquista do título voltarmo-nos a encontrar. Na verdade, estes jogos são bastante importantes. O primeiro, como sempre, com a responsabilidade de querer vencer, e o segundo, que já contabiliza pontos para o apuramento. Vamos respeitar todas as seleções de igual maneira e vamos lutar para ficar no primeiro lugar", afirmou.

Em conferência de imprensa realizada na Cidade do Futebol, o internacional português vincou que o triunfo no Euro2016 não alterou a responsabilidade de Portugal nos jogos, embora admita que os adversários possam olhar de forma diferente. "A responsabilidade é sempre a mesma. É isso que vamos tentar fazer: é verdade que somos campeões e que as outras seleções olham ainda com mais respeito. Talvez haja um acréscimo em relação a nós e vamos dar tudo para corresponder às nossas expectativas e dos portugueses", explicou.

O título europeu pela Seleção e a transferência para o Barcelona coroaram um verão inesquecível para André Gomes, como o próprio reconheceu aos jornalistas. "Claro que as coisas melhoraram bastante e é com grande orgulho que posso dizer que sou campeão europeu. Foi um verão muito feliz por mim, principalmente por essa conquista. Claro que fiquei satisfeito com a mudança do clube, mas agora o mais importante são estes dois jogos. Vamos dar o nosso melhor e é isso que o selecionador espera de nós: o mesmo espírito de sacrifício e de grupo. Ele sempre assumiu que quer ganhar e é assim que encaramos todos os jogos."

Já sobre a ausência de Ronaldo dos convocados para os dois embates da Seleção, o médio português admitiu a posição de exceção que o capitão tem no grupo e assegurou também não saber se será titular. "São 23 e todos querem jogar. Não há jogadores titularíssimos. Quer dizer, o Cristiano é uma exceção e os restantes trabalham para estar ao mais alto nível e ajudar a seleção", salientou, acrescentando: "É um jogador muito importante, que tem jogado sempre e é um exemplo para todos. Sabemos quão forte pode tornar o grupo, mas o mister escolheu estes 23 e confia em todos os que chamou."

Portugal vai agora trabalhar na Cidade do Futebol e defronta Gibraltar na próxima quinta-feira no Estádio do Bessa, no Porto.

Conteúdo publicado por Sportinforma