Portugal 3-0 Hungria

26-03-2017 09:13

Seleção caça ‘fantasma’ do Europeu e despacha os 'magiares'

Portugal venceu a Hungria por 3-0 e consolidou a segunda posição do Grupo B de qualificação para o Mundial 2018, que se realiza na Rússia.
Ronaldo
Foto: EPA/MIGUEL A. LOPES

Cristiano Ronaldo marcou dois golos na vitória por 3-0 sobre a Hungria

Por Diogo Marcelo sapodesporto@sapo.pt

3-3. O 'fantasma' do Europeu estava bem presente na memória dos portugueses, visto que foi esta a última vez que as duas equipas se tinham defrontado. Mas a história desse jogo ficou bem no passado, depois de uma exibição competente da seleção portuguesa frente à congénere húngara.

Portugal venceu a Hungria por 3-0. André Silva abriu o marcador e Cristiano Ronaldo esteve inspirado, marcando dois grandes golos e chegando à incrível marca de 70 tentos apontados ao serviço da seleção nacional.

O jogo:

A equipa da Hungria surpreendeu Fernando Santos e a sua equipa, ao apresentar-se num esquema de três defesas, de forma a conter os extremos (Quaresma foi novidade) e o jovem André Silva. A boa organização preparada por Bernd Storck deixou Portugal um pouco preso de movimentos, não conseguindo chegar da melhor forma à baliza adversária.

No entanto, no meio da ‘teia’ húngara, foi a seleção das ‘quinas’ a conseguir desbloquear a situação, numa bela jogada de entendimento entre Cristiano Ronaldo, Raphael Guerreiro e André Silva aos 32 minutos.

O capitão da seleção nacional abriu a passadeira para o lateral do Borussia Dortmund realizar um cruzamento com conta e medida para a entrada do avançado do FC Porto, que abriu o marcador pela primeira vez na partida.

A noite acabaria por ser mesmo do melhor jogador do mundo. Jogando numa posição mais recuada, funcionando quase como um organizador de jogo, Cristiano assumia a batuta do jogo, servindo para os avanços bem ponderados de João Mário ou para a magia do ‘Harry Potter’ Quaresma que, num Estádio da Luz com mais de 57 mil presentes, deslumbrou as bancadas com alguns pormenores de fino recorte técnico.

Mas como todos sabemos, o avançado do Real Madrid não é conhecido por servir os seus companheiros mas sim pelos seus golos. E que golos! Cristiano Ronaldo deu o ar da sua graça ao marcar dois grandes golos, o primeiro de fora da área de pé esquerdo e o segundo na marcação de um livre direto descaído à esquerda, fazendo recordar os seus tempos áureos no Manchester United.


O momento:
Golo de André Silva: A equipa lusa estava a ter dificuldade de criar o seu jogo, muito por culpa do bom trabalho da equipa húngara, que procurava usar o físico para desgastar os jogadores portugueses. No entanto, a bela jogada que deu o primeiro golo da partida (e o quinto de André Silva ao serviço das cores nacionais) desbloqueou o jogo e permitiu a Portugal partir para a vitória folgada que se verificou.


Os melhores:

Cristiano Ronaldo: Começam a faltar as palavras para descrever tudo o que é Cristiano Ronaldo no mundo do futebol hoje em dia. Com presença no primeiro golo e assumindo ele próprio a marcação dos outros dois, o internacional luso revela uma vez mais que velhos são os trapos e que continua a ser o melhor jogador do mundo


André Silva: Apesar de ter perdido algum fulgor no FC Porto, depois da chegada de Soares, o jovem português tem feito boas exibições ao serviço da seleção e conta já com cinco golos marcados em seis internacionalizações. Na partida contou com um golo e uma assistência. Um bom valor de futuro para a posição mais avançada da seleção nacional.


Os piores:

Primeiros 30 minutos da partida: A ‘teia’ criada por Storck levou a que Portugal ficasse preso e com pouca possibilidade de furar a defesa húngara. Este aspeto levou a que o jogo se tornasse um pouco aborrecido e com poucas oportunidades para ambas as equipas.


Organização húngara: Se o conjunto ‘magiare’ teve um trabalho bem competente nos primeiros 30 minutos da partida, a verdade é que o golo sofrido abalou psicologicamente a equipa, que não mais se conseguiu encontrar em campo e que dificilmente criava oportunidades para atacar, com exceção do contra-ataque e de bolas lançadas para a frente.


Reações:

João Mário: "Os nossos adeptos têm feito a diferença"

Cédric Soares: "Esta vitória foi muito importante perante os nossos adeptos"

Bernd Storck: "Jogámos com um adversário de outro nível"

Fernando Santos: "Depois do primeiro golo, as coisas ficaram mais fáceis"

João Mário: "Fomos surpreendidos mas adaptámo-nos bem"

José Fonte: "O André Silva tem aprendido com o Cristiano Ronaldo"

Fernando Santos: "Podíamos ter feito melhor"

Ronaldo explica o que mudou: "Percebi que tinha de jogar mais entre linhas"


Curiosidades:

Portugal marcou 19 golos em 5 jogos nesta fase de qualificação para o Mundial 2018; é o 2.º melhor ataque, juntamente com Espanha, a 2 da Bélgica

André Silva (21 anos), bateu o feito de Peyroteo (22 anos), ao tornar-se no mais jovem a chegar aos 5 golos em 6 ou - internacionalizações por Portugal

Ronaldo marcou em todos os jogos que realizou na Qualificação Mundial 2018: (Hungria - 2 golos; Letónia – 2 golos; Ilhas Faroé – 1 golo e Andorra – 4 golos)

Sempre que Portugal defrontou a Hungria em solo luso, a Seleção Nacional venceu sempre por 3-0 no Estádio da Luz

Conteúdo publicado por Sportinforma